Alho e cebola, consumir ou não?

Sobre a questão questionada do consumo de alho e cebola, vou fazer algumas considerações até onde tenho conhecimento. Por favor, leia todo o texto antes de comentários, para melhor entender todos os aspectos envolvidos. Tentei mesclar no texto os dois lados do consumo, tanto sobre aqueles que defendem o uso, quando o não uso. Leiam, e reflitam com calma.

O consumo certo ou errado vai depender muito da pessoa, do organismo, do tipo de alimento (origem), e das práticas internas de quem for consumir, portanto não existe certo ou errado nessa questão.

Ambos são muito benéficos, e ajudam a evitar muitas doenças em vários níveis, porém vale salientar antes de qualquer coisa, que são alimentos com energias muito forte, posso até dizer que são alimentos muito telúricos, pois extraem diretamente da terra suas energias. Sim, todos os alimentos extraem suas energias da terra, claro, mas existem aqueles que nascem mais próximos da terra ou dentro da terra, carregando outros tipos de energia nas suas propriedades. Existe ainda a questão da poluição da terra por agrotóxicos e outras substâncias, portanto o consumo deve ser preferencialmente orgânico. Vejam por exemplo, que muitos locais que plantam alho estão sendo denunciados por existir uma forte poluição por metais pesados, portanto fiquemos atentos.

No ayurveda cebola e alho, e as outras plantas aliáceas são classificadas como rajas e tamas, o que significa que aumentam a paixão e a ignorância. De acordo com alguns yogues, dizem que os alimentos dessa categoria não podem ser oferecidos para as divindades, e nem consumido por praticante de meditação, pois ancoram e deixam a consciência mais perto do corpo (dificultando acesso a corpos mais sutis).

O alho e a cebola são evitados pelos espiritualistas porque eles estimulam o sistema nervoso central. O alho é um afrodisíaco natural.
A ayurveda sugere que é um tônico para a perda de potência sexual por qualquer motivo, debilidade sexual, impotência de excesso de indulgência em sexo e esgotamento nervoso de dissipação de hábitos sexuais. Diz-se ser especialmente útil para os idosos com tensão nervosa e diminuição da potência sexual.

A questão alopática do consumo de alho e cebola também é controversa, apesar de muitos dizerem que é excelente para a imunidade do corpo, no estado bruto pode carregar nocivas (potencialmente fatais) bactérias do botulismo. Mas esse fator é contraditório.

Os taoístas perceberam a milhares de anos que as plantas da família aliáceos eram prejudiciais para os seres humanos em seu estado saudável. Em seus escritos, um sábio Tsang-tsé descreveu os Alliums como os "cinco perfumados ou legumes perfumados picantesâ - que cada um tem um efeito negativo sobre um dos seguintes cinco órgãos - fígado, baço, pulmões, rins e coração. Especificamente as cebolas são prejudiciais para os pulmões, ao coração o alho, alho-poró ao baço, cebolinha (chives) para o fígado e cebolinhas (spring onions) para os rins.

Tsang-tsé disse que estes vegetais pungentes contem cinco tipos diferentes de enzimas que causam "hálito repugnante, odor extra-sujo de suor e movimentos do intestino, e levam à indulgência lasciva, aumentam a agitação, ansiedade e agressividade", especialmente quando consumidos crus.

Mas o fato interessante é que não podemos dizer isso tudo como plausível para todas as pessoas, porque algumas realmente precisam destes alimentos para "ancorar" melhor sua energia na terra. Imaginem uma pessoa que esteja muito sutil em meio ao caos do dia a dia, e tem dificuldade de manter a mente no presente, no corpo, tendendo a viajar demais no sutil esquecendo das coisas da terra, são pessoas raras, mas existem, e muitos vezes, na minha opinião, esses alimentos podem ajudar bastante se consumidos corretamente.

Mas continuando...

Coisas semelhantes sobre o não consumo, são descritos na Ayurveda. "Além de produzir hálito e odor corporal, estas plantas (aliáceos) induzem irritação, agitação, ansiedade e agressividade. Assim, eles são prejudiciais fisicamente, emocionalmente, mentalmente e espiritualmente." De volta à década de 1980, em sua pesquisa sobre o funcionamento do cérebro humano, o Dr. Robert [Bob] C. Beck, DSc. descobriu que o alho tem um efeito negativo sobre o cérebro. Ele constatou que o alho de fato é tóxico para o homem porque seus íons de hidroxila sulfona penetram a barreira hemato-encefálica e são tóxicos para as células do cérebro. Beck explicou que, desde os anos 1950, sabia-se que o alho reduziu o tempo de reação de duas a três vezes quando consumidos pelos pilotos tendo testes de vôo. Isso ocorre porque os efeitos tóxicos do alho âdessincronizamâ as ondas do cérebro.

Precisamente pela mesma razão, a família de plantas de alho tem sido amplamente reconhecidas como sendo prejudiciais aos cães. Mesmo quando o alho é usado como alimento na cultura chinesa é considerado nocivo para o estômago, o fígado e os olhos e uma causa da tontura e da energia dispersada quando consumidos em quantidades imoderadas. Nem sempre o alho é visto como tendo propriedades totalmente benéficas na culinária e na medicina ocidental. É amplamente aceito entre os profissionais de saúde que, além de matar bactérias nocivas, o alho também destrói as bactérias benéficas, que são essenciais para o bom funcionamento do sistema digestivo.

Em um monastério Budista nas montanhas do Tibet em 1972, foi descoberta uma receita onde este preparado de extrato de alho limpa o organismo das gorduras e libera os cálculos depositados. Melhora o metabolismo e, em consequencia, todos os vasos sanguíneos se tornam elásticos. Diminui o peso do corpo, levando o peso normal. Desfaz os cálculos no sangue, cura o diafragma, miocárdio enfermo, a arteriosclerose, a isquemia, a sinusite, a hipertensão, as enfermidades bronco-pulmonares. Faz desaparecer por completo a dor de cabeça, cura a trombose no cérebro. Cura a artrite, o reumatismo, a gastrite, as úlceras de estômago e as hemorróidas. Esta terapia é usada muito ocasionalmente, e somente em algumas situações (http://www.harmonizacaoquantica.com.br/alimentacao/alimentos-que-curam/alho---receita-remedio-antigo-encontrado-em-monasterio-budista).

Existem até alguns que afirmam que o consumo de alho e cebola afasta os seres angelicais e atraem seres infernais... mas não acredito nisso, de forma alguma, pois o cheiro do alho em níveis sutis não tem esse feito. Podemos verificar isso nos relatos sobre afastar vampiros, ou usar cebola e alho para afastar seres trevosos de casa, e ainda limpar ambientes, pois a energia dos mesmos é muito forte, e afasta coisas ruins.

Na umbanda já vi relato de uma senhora que ensinou algumas pessoas uma receita que diz ser para longevidade e evitar qualquer tipo de doença, onde ela recomenda colocar uma cabeça de alho (com os dentes inteiros e descascados), em um vidro e cobrir com bastante azeite de oliva, deixando na geladeira por 30 dias. Após, recomenda o consumo de uma colher do azeite por dia junto com o almoço, de acordo com ela tem efeito muito bons. O mesmo vale e é recomendado no Japão, porém ao invés do azeite usa-se mel e alho, deixando de um ano para o outro na geladeira, onde consumem no inverso para evitar doenças.

Ainda, em conversa com uma profunda conhecedora de umbanda, ela relatou que a cebola funciona como um tipo de vórtice para baixo, limpado miasmas astrais do nível telúrico, e o alho funciona como um tipo de "bomba", matando muitos parasitas nesses "túneis" mais densos. Faz todo sentido, pois sua energia sendo bem pesada, trabalhando muito os chakras básicos e energias terra, devem realmente amplificar esse fator e fulminar parasitas, larvas e outras coisinhas pegajosas.

Alguém já viu uma flor de alho? Então, quem não viu aconselho, pois é uma das flores mais lindas que já vi. Pelos estudos que já fiz, está ligada ao raio azul, muito sutil.

Voltando ao outro lado, ainda temos o relato de uma suposta conversa de Buddha com os discípulos:

Buda numa conversa com seu discípulo Ananda, conhecida como Sutra Surangama, cap. VI, subtítulo “The Three Gradual Steps to Wipe Out Sansàra” (Os Três Passos Graduais para Transcender [Purificar] o Sansara), disse:

“Quais são esses três passos graduais? (Eles são:) a prática que contribui para remover todas as causas acessórias [segundárias]; a prática principal para eliminar as causas básicas [primárias]; e a prática progressiva para parar o crescimento do carma.
Quais são as causas secundárias? Ananda, destas doze espécies, o mundo deve sua existência a quatro formas de alimentação: por comer, tocar, pensar e tomar consciência dos alimentos.
Portanto, o Buda diz que todos os seres vivos dependem de alimentação para a sua estada (em sansara). Ananda, todos os seres vivem se comerem alimentos saudáveis e morrem se ingerirem veneno. Em sua busca por Samadhi, eles devem se abster de comer cinco tipos de raízes pungentes (i.e., alho, os três tipos de cebolas e alho-poró), se consumidos cozidos são afrodisíacas e se crus causam irritabilidade. Ainda que aqueles que comem possam ler as doze divisões do Sutra Mahayana, eles expulsam os espíritos de vidência (Á ˘ i) nas dez direções que abominam o mau cheiro, e atrairão os fantasmas famintos que lambem seus lábios. Eles estão sempre rodeados por fantasmas, e sua boa sorte irá desaparecer dia a dia em seu próprio prejuízo. Quando esses comedores de raízes pungentes praticam o Samadhi, nenhum dos Bodhisattvas, espíritos videntes e bons espíritos vêm para protegê-los, enquanto o poderoso rei dos demônios aproveita a ocasião para aparecer como um Buda, como se a ensinar-lhes o Dharma, difamando e quebrando os preceitos e louvando a carnalidade, a raiva e a estupidez; em sua morte, eles irão se juntar a sua comitiva, e no final de seu tempo em seu reino, eles vão cair no Inferno.”

Essa parte acima é bem pesada né, não sei se realmente esse relato é verdadeiro, ou se podemos aplica-lo a todas as pessoas, mas o fato é que o consumo ainda é muito controverso. Conheço uma mestra Taoista que usa alho e cebola tranquilamente, cheguei a questioná-la sobre isso, e a resposta foi bem direta, dizendo que não faz sentido retirar alimentos que ajudam no aumento da sexualidade, pois no caso dessa linhagem, usa-se a energia sexual como alimento interno para as energias sutis. Já outro mestre de linhagem diferente, não usa de forma alguma, pois ele diz que prejudica muito as práticas... enfim.

Em muitas linhagens Taoistas e Budistas que conheço, assim como os Hare Krisna, não utilizam alho e cebola de forma alguma, devido as questões acima, sobre sexualidade e irritabilidade no sistema nervoso.

Um texto que li a muito tempo do José Joacir, fitoterapeuta, relata o seguinte, contradizendo muitas coisas acima, defendendo o consumo:

"Por que será que a crendice popular afro-brasileira recomenda a exposição de trança de alho contra o olho gordo e a inveja? A espiritualidade é muito sensível a cheiro, odor, sabor. Há um debate em torno de carnes vermelhas e o Mestre Ramatis chega a detalhes tão curiosos sobre isso que ninguém tem coragem de comer um bife suculento depois da leitura de um dos seus livros. É comum o cheio de rosas nos trabalhos mediúnicos como um sinal da sintonia com a espiritualidade elevada. Devido à sutileza dos seus corpos astrais, deve ser muito difícil para um espírito elevado aproximar-se de um corpo impregnado de antibióticos, maconha, carnes vermelhas, vísceras animais, feijoada, álcool etc. Ao mesmo tempo, os espíritos não-evoluídos e presos ao umbral fazem de tudo para incorporar e pedir cachaça, comida, sacrifício de animais etc. Muitos ficam nos bares e outros lugares para literalmente sugar a essência dessas “delícias” terrenas. Parece existir uma relação entre elevado com o cheio bom e atrasado com o cheio ruim, mas nada é rígido nos mundos astrais. Alho exala um forte cheiro, tem um sabor ardido e foi colocado na Terra pela engenharia espacial para trabalhar a imunidade física, cuja proteção estende-se à espiritual. A flor do alho está ligada ao raio azul. Segundo o Dr. Nozomu Makishima, alho é rico em potássio, fósfaro, sulfato de magnésio, zinco, bórax e outros. Para os chineses, é excelente antigripal e eficaz nas doenças respiratórias, o que coincide com as pesquisas de Neide Margonari. Neide Margonari, dos Florais de Saint Germain, diz: “Allium desfaz encantamentos e traz proteção aos ataques de forças psíquicas astrais e vampirismos. É um poderoso desobsessor. O floral Allium devolve a calma, o discernimento, e atua como coadjuvante nos estados de esgotamento físico e psíquico. Combate insônia, hipocondria, hipotensão, anorexia, distúrbios metabólicos, obesidade, menstruação atrasada, gripes fortes, problemas nos rins, degeneração dos vasos sanguíneos, úlceras purulentas, varizes, impinge, etc”. (recomendo muito leitura do texto completo http://www.harmonizacaoquantica.com.br/medicina-chinesa/alguns-alimentos/alho-e-forte-aliado-ao-equilibrio-fisico). Sobre o livro que ele comenta do Ramatis, o qual recomendo enfaticamente a leitura, chama-se Fisiologia da Alma.

Enfim, para concluir os prós e contras, aconselho muito a usar a intuição sobre o consumo, pois eu mesmo já testei e verifiquei que depende muito do que está praticando e do organismo. Em práticas mais meditativas, que irão trabalhar muito os fatores sutis, alho e cebola pode atrapalhar um pouco a maioria das pessoas, mas não significa que irão atrapalhar todas as pessoas, pois cada uma tem sua origem e espiritualidade.

Leiam novamente o texto com calma e sem julgamento, lembrando que a natureza é sagrada, nosso corpo é sagrado, apenas devemos aprender a lidar com eles e sair dos condicionamentos e maldade do mundo.


Paz e Luz!
Terry
Comments