Ameixa - Uma fruta saudável

A ameixa é produzida por uma árvore da família das Rosáceas. A ameixeira é originária da Pérsia, do Cáucaso e da Ásia Menor. Aclimatada nos Estados do Sul, apresenta grande número de variedades. Várias outras frutas pertencem também à família das rosáceas: amêndoa-amarela, nêspera, morango, maçã, damasco, cereja, pêssego, pêra, framboesa, etc.

USO MEDICINAL

Graças ao seu conteúdo em fibra (especialmente pectina), carboidratos, magnésio, sódio e potássio, a ameixa é laxativa, recomendando-se contra a prisão de ventre obstinada. Põem-se umas 1 5 ameixas secas de molho à noite, e, de manhã, comem-se as ameixas e bebe-se o caldo. Esse mesmo caldo, misturado com suco de limão, encerraria propriedades anafrodisíacas, segundo conceito popular.

Médicos afirmam que a ameixa fresca é um magnífico agente terapêutico contra as enfermidades causadas pelos ácidos e associadas às hiperlipidemias, principalmente pelo ácido úrico, tais como o reumatismo, a artrite, a gota; a arteriosclerose, a nefrite etc; ácidos e/ou gorduras originados por uma alimentação excessiva, à base de proteínas, gorduras saturadas e colesterol.


A ameixa fresca é indicada contra as hemorróidas e a hipocondria.

Diurética como é, recomenda-se contra as afecções, de caráter inflamatório, das vias urinarias.

É, ainda, "desobstruente" do fígado, "depurativa" do sangue e "desintoxicante" do aparelho digestivo, pelo que se emprega com êxito nas afecções febris do estômago e do intestino.

No tratamento das afecções das vias respiratórias (anginas, catarros etc.), a ameixa é muito útil.

Caso não apareça logo o efeito esperado, aumentar a dose diária, de duas em duas, até aproximadamente 25. Se o intestino ainda continuar preso, comer umas 1 O ou 15 ameixas pequenas antes de deitar-se, além das que devem ser comidas de manhã, em jejum.

Valor Alimentício

A ameixa, consumida ao natural, fresca, seca ou demolhada, é um alimento saboroso e saudável. É também muito apreciada em compotas, geléias, sopas, purês, ou em mistura com figos secos, passas de uvas ou nozes raladas. Por suas propriedades laxativas, convém aos intestinos preguiçosos. Mesmo crianças pequenas podem beneficiar-se da "água da ameixa" em caso de prisão de ventre.

A ameixa, conforme a variedade, apresenta algumas diferenças de valor nutricional. Por exemplo, a ameixa-vermelha é rica em provitamina A, ao passo que as outras variedades são relativamente pobres. A ameixa-amarela é, por sua vez, mais doce e energética, além de conter um pouco mais de proteína. A ameixa-preta apresenta elevada atividade aquosa, sendo a mais apropriada para o tratamento das afecções urinarias.

Ir ao sul do Brasil e deixar de experimentar os cativantes sabores das variedades de ameixa lá cultivadas, como a amarela e a preta, é uma inestimável perda de oportunidade gastronômica.

Resumo das Utilidades Medicinais

Ácido úrico (hiperuricemia): Fazer refeições exclusivas de ameixa e/ou incluí-Ia expressivamente na alimentação.

Anafrodisíaco: Deixar de molho 15 ameixas secas durante a noite. Pela manhã, em jejum, tomar este caldo com limão e comer as ameixas. Receita empírica.

Anemia: A ameixa seca é rica em ferro (3,50 mg por 100 g) e portanto convém à dieta contra a anemia ferropriva (causada por carência de ferro).

Artrite: Proceder como indicado em ácido úrico.

Aterosclerose: Incluir copiosamente a ameixa fresca na alimentação. Ajuda a prevenir e a amenizar o processo.

Bronquite: Deve-se usar abundantemente a ameixa fresca e a ameixa cozida. Misturar mel e própolis ao caldo do cozimento da ameixa e tomar unia colher de sopa de hora em hora.

Catarro: Fazer refeições exclusivas de ameixa fresca.

Cérebro, debilidade do: Os naturopatas práticos acreditam que a ameixa deve ser incluída na dieta de pacientes que se queixam de perda de memória e "debilidade do cérebro".

Cérebro, para fortalecer o: Proceder como indicado em cérebro, debilidade do.

Constipação intestinal: Tomar a "água de ameixas"-. deixar de molho, durante a noite, algumas ameixas e de manhã tomar água e comer as ameixas.

Debilidade: Ver fraqueza.

Digestão: Ver febre intestinal.

Diurese: Utilizar liberalmente a ameixa fresca e/ou seu suco.

Febre intestinal: Podem-se fazer refeições exclusivas de ameixa fresca.

Fígado: Ensina-se popularmente que o consumo liberal de ameixas frescas age como "desobstruente do fígado". No ensino popular há um cerne de verdade, sempre enfatizamos.

Fraqueza geral: Incluir regularmente na alimentação a ameixa seca e a fresca.

Gota: Ver ácido úrico. Proceder como ali indicado.

Hemorróidas: lncluir a ameixa expressivamente na alimentação, fazendo, esporadicamente, refeições exclusivas desta fruta.

Hipocondria (preocupação mórbida com doenças): Por inusitado que pareça, recentes pesquisas têm relacionado distúrbios mentais com alimentação. Recomenda-se, ainda empiricamente, que a ameixa deve ser incluída na dieta dos hipocondríacos.

Intestinos: Ver febre intestinal.

Memória, perda de: Ver cérebro.

Nefrite (inflamação dos rins): Proceder como indicado em ácido úrico.

Pelagra: Pelo seu razoável conteúdo de vitaminas B1, B2 e niacina, recomenda-se a ameixa, seca e fresca, aos pelagrosos.

Perda de memória: Ver cérebro.

Prisão de ventre: Ver constipação intestinal.

Resfriado: Descaroçar algumas ameixas secas e assar no fomo. Quando estiverem bem duras, moê-las finamente. Acrescer uma colher de sopa deste pó a uma xícara de água quente. Pingar algumas gotas de suco de limão e adoçar com um pouco de mel. Tomar quente.

Respiratórias, doenças das vias: Proceder como indicado em bronquite.

Reumatismo: Proceder como indicado em ácido úrico.

Rins: Ver nefrite.

Sangue, depurativo do: Os naturopatas práticos recomendam a ameixa como "fruta depurativa". Proceder como em: urinarias, doenças das vias.

Tônico: Ver fraqueza.

Tosse: Tomar a mesma preparação indicada em resfriado, aos goles.




fonte: http://www.portalnatural.com.br/index.php/dieta-e-receitas/frutas/298

Comments