As Propriedades Funcionais do Figo

AS PROPRIEDADES FUNCIONAIS DO FIGO

Quando chamamos um alimento de funcional, na verdade queremos dizer que ele
tem componentes ativos que podem prevenir doenças e trazer benefícios à
saúde. Hoje, decidi trazer algumas informações desta relativamente
esquecida, mas extremamente funcional fruta que é o Figo.

Embora seja originalmente do Mediterrâneo, o Figo (Fícus Carica) é uma fruta
cultivada em todo o mundo. Existia uma figueira no Jardim do Éden e é o
fruto mais mencionado na bíblia. Os figos eram dados aos atletas olímpicos
durante o treinamento por ser rico em potássio e casa habitante de Atenas
era um philosykos, literalmente, “amigo do figo”. De acordo com Plinius, o
maior naturalista romano, “figos aumentam a força de uma pessoa jovem,
preservam a saúde no idoso, mantendo-os jovens e sem rugas”. Não é a toa que
era a fruta predileta de Cleópatra!

Embora seja chamada de fruta, na verdade ela é uma flor invertida. As
sementes é que são as verdadeiras frutas. As figueiras são árvores longevas,
algumas podem ter mais de 100 anos e ainda produzem frutos. Como o assunto
do momento é longevidade, decidi dar destaque aos frutos desta árvore anciã
tão produtiva.

O figo é uma fruta totalmente livre de gordura e com pouco sódio. Um único
figo contém 20% das necessidades diária de fibra que devemos consumir, sendo
8,7g insolúveis e 3,5g solúveis. As fibras da dieta ajudam a controlar o
colesterol e a glicose e melhoram o funcionamento do intestino. Como se isso
não bastasse, ele tem mais cálcio que qualquer outra fruta. A maçã, por
exemplo, tem 11mg, uma banana 4,9mg e o figo pode ter 133mg, portanto é uma
fruta que deve ser comida por pessoas que necessitam suplementar cálcio na
dieta.

Os benefícios vão além das fibras e dos minerais. Ele também faz bem para os
olhos, porque tem luteína e zeaxantina, pigmentos carotenóides que absorvem
a luz ultravioleta que danifica a retina. O total de polifenóis do figo fica
abaixo somente da cevada, do sorgo, uma planta parecida com o milho e do
açaí. Polifenóis são compostos fenólicos encontrados nas frutas e vegetais
com importante capacidade antioxidante. Eles são os responsáveis pela cor,
sabor, adstringência ou aroma. Comparado com o figo, o vinho tinto e o chá,
duas grandes fontes de polifenóis, apresentam um conteúdo baixo. Os estudos
epidemiológicos mostram uma associação entre o risco de câncer e o consumo
de frutas e vegetais. Os polifenóis das frutas podem atuar de diferentes
maneiras na prevenção do câncer, seja como agente antioxidante ou
anti-proliferativo. O efeito protetor das frutas frescas e vegetais nas
doenças cardiovasculares também está associado à quantidade de polifenóis
que eles contêm. O paradoxo francês que descreve a aparente contradição
entre a baixa incidência de doenças cardíacas nos franceses, mostra que os
polifenóis do vinho tinto, normalmente consumido nas refeições, são os
responsáveis pelo efeito protetor, apesar de eles consumirem gordura
saturada na dieta. O conteúdo de polifenol no vinho tinto varia de 200 a
800mg e no figo pode chegar a 1100mg/100g. Com relação ao colesterol, o figo
também contém fitoesteróis, os esteróides das plantas que ajudam a diminuir
a absorção do colesterol do organismo.

Com todas essas propriedades medicinais, é fácil entender porque o figo foi
uma das primeiras plantas cultivadas pelos homens e faz parte da lista dos
29 alimentos mais saudáveis do planeta.

Esta reportagem foi extraída da revista “Orgânica”, da GBL Comunicação,
numero 3, ano 1, outubro/novembro 2007, página 08, para fins didáticos. +
informações www.gblcom.com
Comments