Coletânea sobre Banana

Vamos lá, segue abaixo uma coletânea sobre nossa amiga, alimento espiritual, a banana!

Namastê,
Terry

___

Banana - Depois de ler isto, você não vai olhar para uma banana da mesma maneira.

Contendo três açúcares naturais; sacarose, frutose e glucose, combinados com fibras a banana vai te dar uma reserva instantânea de energia. Pesquisas provam que somente 2 bananas dão energia para 90 minutos de trabalho pesado. 

Não admira a banana ser o fruto mais consumido entre os atletas. Mas energia não é o único benefício que a banana traz, ela ajuda a prevenir um substancial número de doenças.

Depressão: De acordo com recentes estudos, a maioria das pessoas que habitualmente sofrem com depressões sentiram-se substancialmente melhor depois de comerem uma banana. Isto acontece porque a banana contém um tipo de proteína que o corpo converte em serotonina, substância que ajuda a relaxar e faz sentir melhor.

Anemia : Fortes em ferro, as bananas estimulam a produção de hemoglubinas e ajudam em caso de anemia.

Pressão Arterial : Este fruto tropical é muito rico em potássio e pobre em sal sendo perfeito para descer a pressão arterial. A Food and Drug Administration, nos Estados Unidos até permitiu aos produtores de bananas usarem isso como publicidade.

Cérebro : 200 estudantes comeram uma banana ao pequeno almoço, ao almoço e ao lanche e provou-se que o potássio presente no fruto ajudou-os a melhorar a sua concentração.

Obstipação : Ricas em fibras, a inclusão de bananas nas dietas ajuda a normalizar o trânsito intestinal, permitindo debelar os problemas sem o uso de laxantes.

Dor de cabeça : Uma das maneiras mais rápidas de curar uma dor de cabeça é fazer um batido de banana com mel. A banana acalma o estômago e com a ajuda do mel aumenta os níveis de açúcar no sangue enquanto o leite acalma e hidrata todo o teu sistema.

Cansaço matinal : Comer uma banana entre as refeições ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue elevados, combatendo o cansaço.

Picadas de insectos : Quando for picado por um inseto, experimenta esfregar a zona afetada com a parte de dentro de uma casca de banana. A irritação vai acabar.

Nervos : Bananas são ricas em vitamina B, que acalmam o sistema nervoso.
Pesquisas em 5.000 pacientes, chegaram à conclusão que os mais obesos são aqueles que têm trabalhos de muita pressão. O relatório concluiu que para combater isto, devemos controlar os nossos níveis de açúcar no sangue devendo consumir comida com muitos hidratos de carbono, como a banana.

Úlceras : A banana é usada nas dietas contra as desordens intestinais pela sua textura suave e por causa de ser um fruto muito macio. É o único fruto que pode ser comido sem causar distúrbios mesmo nos casos mais graves. Ela também neutraliza a acidez excessiva e reduz a irritabilidade criando uma camada nas paredes do estômago.

Controle de temperatura: Muitas culturas vêm a banana como um fruto ’calmante’ porque consegue baixar a temperatura, quer física quer emocional, nas mulheres grávidas. Na Tailândia, por exemplo, é hábito as mulheres grávidas comerem bananas para se assegurarem de que o seu filho nasce com a temperatura correta.

Fumar : As bananas podem ajudar quem quer deixar de fumar. As vitaminas B6 e B12, o potássio e o magnésio que contêm, ajudam o corpo a recuperar dos efeitos da falta de nicotina.

Stress : O potássio é um mineral vital que ajuda a normalizar o batimento cardíaco, que auxilia a ida do oxigénio para o cérebro e que regula a repartição de água pelo corpo. Quando estamos ’stressados’ o nosso metabolismo altera-se reduzindo os níveis de potássio. Podemos ajustá-los com a ajuda deste fruto, rico em potássio.

Cortes : De acordo com o ’New England Journal of Medicine’, comer bananas regularmente pode reduzir o risco de morte por cortes até mais de 40%!
Assim, a banana é um remédio natural para muitos males. Acrescentado só uma coisinha, a banana ajuda a ajustar o organismo no chamado ’jet leg’. Para quem viaja de um continente para outro com muitas horas de diferença do fuso horário, comendo bananas, devido as propriedades do potássio, o organismo consegue ajustar mais depressa ao novo horário.

Comparando-a com a maçã, tem o quádruplo das proteínas, o dobro dos hidratos de carbono, três vezes mais fósforo, cinco vezes mais vitamina A e ferro e o dobro das outras vitaminas e minerais. É um fruto rico em potássio e uma das mais saudáveis comidas existentes.

Data Edição: 08/05/09    
Fonte: Uol Mais    

O uso de novas tecnologias no cultivo, a dieta para emagrecimento adotada no Japão e nos EUA e conjunturas de mercado explodem a demanda mundial, favorecendo os produtores brasileiros

Reza um ditado popular que a banana ingerida pela manhã é ouro, de tarde é prata e de noite mata. Cultivada há 8 mil anos, em 130 países, a fruta, que há séculos faz parte da alimentação diária de cerca de 400 milhões de pessoas, caiu no gosto de uma nova legião de adeptos: os japoneses.

Tudo começou quando Sumiko Watanabe, uma farmacêutica de Osaka, concebeu uma dieta baseada nos preceitos do ditado popular para ajudar a acelerar o metabolismo do marido Hitoshi Watanabe, que estava acima do peso. Hitoshi perdeu 37 quilos e popularizou a banana no mercado japonês. Conhecida como "morning banana diet", a receita virou febre no Japão e emigrou para os Estados Unidos, onde ganhou centenas de seguidores, principalmente em Nova York. Sua fórmula é simples. A pessoa deve comer de uma a quatro bananas no café da manhã e tomar uma xícara de água morna como acompanhamento. Mais nada. No almoço, a alimentação é livre (o que se come habitualmente, sem excessos, é claro). Um leve lanche deve ser preparado às 15 horas. O jantar, corriqueiro, deve ser servido antes das 20 horas e é muito importante que a
pessoa vá para cama antes da meia-noite. A água é a única bebida permitida durante as refeições. As sobremesas são proibidas. Graças à receita de Sumiko, a banana - oito séculos depois de ter seu cultivo iniciado na Ásia - virou um hit internacional.

O sucesso da dieta foi tamanho que em algumas regiões houve desequilíbrio entre a oferta e a demanda no ano passado. No último verão japonês, as vendas de banana - produto em geral pouco comercializado nessa época - cresceram 80% naquele mercado, em comparação com igual período do ano anterior. A procura impulsionou, inclusive, a Dole do Japão a aumentar suas importações de bananas em 25%, e ainda assim o mercado continuou desabastecido. Em 2007 as importações japonesas somaram 970 mil toneladas, provenientes de Taiwan e das Filipinas. Estimativas mostram que no ano passado esse volume teria crescido 70%. É a primeira vez em quarenta anos
que o país registra um crescimento tão acentuado no consumo. Como consequência, os preços da fruta subiram 20% no mercado local.

Depois de emagrecer 37 quilos, Hitoshi Watanabe escreveu o livro Morning banana diet, publicado em março de 2008, com mais de 800 mil exemplares vendidos e traduções publicadas na Coreia do Sul e em Taiwan. A dieta, que chegou aos Estados Unidos no segundo semestre do ano passado, aportou no Brasil no início deste ano. Nutricionistas, no entanto, contestam o regime. "Não há nada mágico sobre bananas", disse Bonnie Taub-Dix, nutricionista e porta-voz nacional da American Dietetic Association, para o jornal Daily News, de Nova York. "Poder comer o que quiser no almoço e no jantar, como propõe a dieta, não é algo bem-definido ou que tenha alguma base científica" complementa. Para a nutricionista, as dietas que permitem comer de tudo, complicam a vida de pessoas propensas a excessos. Os poderes nutricionais da
banana, no entanto, são inegáveis. Conhecida como um dos mais completos alimentos, a fruta constitui uma inesgotável fonte de hidratos de carbono, potássio, sódio, fósforo, cloro, magnésio, enxofre, silício, cálcio, vitaminas A, B1, B2 e C. "A banana é uma excelente fonte de energia, mas não recomendo seu uso como medicamento", diz Milana Dan, nutricionista que está concluindo sua tese de doutorado em ciências dos alimentos, em que aponta os benefícios da farinha de banana verde. Trata-se de um trabalho que vem sendo realizado no laboratório de Química, Bioquímica e Biologia Molecular da Faculdade de Ciências da USP - Universidade de São Paulo há quatro anos e que comprova os efeitos da farinha de banana verde no controle glicêmico, no funcionamento intestinal e na saciedade. "Devido à alta quantidade de amido resistente que a banana verde possui, sua farinha pode ajudar no controle do açúcar no sangue", diz Milana, que deve concluir o projeto ainda este ano. O amido resistente age como fibra no organismo. Por esse motivo, a farinha também pode ser adicionada a muitos alimentos a fim de facilitar o funcionamento do intestino. A farinha é feita com banana verde porque nesse estágio é maior o grau de amido resistente que a fruta contém. "Conforme ela vai amadurecendo, a graduação de amido resistente diminui, pois ele começa a
ser transformar em açúcar. Uma fruta madura não contém amido resistente", diz Milana.

As bananas usadas pela pesquisadora são colhidas no primeiro estágio de maturação ( excessivamente verdes), na região do Vale do Ribeira, principal polo produtor do país. Os bananicultores brasileiros, apesar de não sentirem diretamente os reflexos da dieta em seus negócios, permanecem atentos ao potencial de crescimento deste mercado. Segundo maior produtor mundial de bananas, o país se destaca como o mais importante consumidor da fruta, uma vez que os cerca de 6,7 milhões de toneladas produzidos anualmente são destinados em sua grande maioria ao mercado interno.

No município paulista de Registro, situado no Vale do Ribeira, os bananicultores realizaram uma verdadeira revolução no que diz respeito ao plantio, colheita e  comercialização. "Evoluímos muito na última década. O manejo da plantação melhorou, o combate às doenças se tornou mais eficaz e o pós-colheita é mais moderno", avalia Agnaldo José de Oliveira, engenheiro agrônomo da CATI - Coordenadoria de Assistência Técnica Integral, órgão vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do estado de São Paulo.

José de Paula Teixeira, produtor há 41 anos, participou intensamente dessa revolução. "No início, a banana, depois de colhida, era colocada no chão em pilhas. Hoje, temos o cabo de aço aéreo, que transporta a fruta da lavoura até o barracão com o máximo de cuidado, sem que um cacho encoste em outro para que as frutas não se machuquem", conta Teixeira.

Não parece, mas a banana é uma fruta muito sensível, assim como a bananeira, uma planta extremamente vulnerável às chuvas e ao vento. Trata-se de uma plantação que requer cuidados constantes. Os cachos de bananas nascem na parte superior de caules chamados pseudocaules. Após o nascimento, esses cachos levam cerca de 10 meses para ser colhidos. Depois da colheita, esse pseudocaule é cortado, dando origem, posteriormente, a um novo caule. O tempo de vida útil de uma bananeira é, em média, de 15 anos, mas existem plantas com até 40 anos que ainda são produtivas. As condições ideais para o cultivo da fruta são calor e umidade. "Cada planta necessita de 8 litros de água por dia e um quilo de adubo por ano para estar bem nutrida", diz Oliveira. Depois que os frutos estão formados, os produtores cobrem os cachos com sacos plásticos para evitar que a fruta sofra com adversidades climáticas ou ataques de pássaros. No caso da banana-prata são cutivados entre 1.200 e 1.300 pés por hectare. No caso da nanica, são 2.000 por

http://www.todafruta.com.br/todafruta/imgsis/20016.GIF

O QUE É QUE A BANANA TEM?

Uma banana contém entre 80 e 120 calorias, dependendo da variedade e do tamanho. É considerada um excelente alimento devido ao seu valor nutricional. Verde, é constituída de água e amido, e é por essa razão que seu sabor é adstringente. À medida que vai amadurecendo, o amido transforma-se em açúcares mais simples, como a glicose e a sacarose, que lhe dá sabor doce.

Outros nutrientes representativos da banana são o potássio, o magnésio, o ácido fólico e a vitamina B6. O potássio auxilia na regulação da tensão arterial, no equilíbrio dos fluidos do corpo e na contração muscular. Evita a ocorrência de cãibras em atividades físicas. Já no que diz respeito ao ácido fólico (também conhecido por vitamina B9), ele tem um papel relevante na gravidez, além de ser eficiente no combate à anemia e a doenças cardiovasculares.

Energética, fácil de consumir e de rápida digestão - menos de duas horas -, a fruta é recomendada para todas as idades. Para os esportistas, são indicadas por sua riqueza em glicídios (açúcares), vitaminas do grupo B, potássio e magnésio, elementos importantes para um bom desempenho muscular. A fruta pode ainda auxiliar na manutenção das defesas imunológicas.

Em uma área de 25 hectares, Teixeira colhe 2,5 mil caixas de 21 quilos por mês de uma lavoura de 50 mil pés de banana, distribuídos em 70% da variedade nanica e 30% da prata. Batico mantém cinco funcionários em sua propriedade. "Comecei a plantar banana-prata em 1998 porque percebi que o consumo crescia. Hoje, o Rio de Janeiro, por exemplo, consome mais prata que nanica", conta o produtor. Outra mudança recente foi o adensamento do plantio. Atualmente, as mudas de banana-nanica são cultivadas com uma distância de 2,5 metros entre os pés, em comparação com os 3 metros anteriores. "O adensamento evita a proliferação de mato no bananal", diz. Como o mercado está cada vez mais exigente, os cuidados no pós-colheita também aumentaram. Teixeira resolveu terceirizar esse serviço. "Entrego a produção ao comprador no barracão e ele é quem lava, seleciona, embala e transporta a fruta." Com isso, Teixeira pode se concentrar somente na parte agrícola e melhorar os indicadores de sua plantação.

Ao longo da última década, as frutas brasileiras se tornaram mais bonitas e o pós-colheita é realizado hoje com o máximo de cuidado. "A casca da fruta deve ser preservada ao máximo, pois o mercado exige a fruta intacta e qualquer marca na banana verde fica preta quando ela amadurece", diz Sergio José Haiek, produtor da terceira geração de uma família que se dedica há décadas à melhoria da qualidade de suas plantações e tem tradição na exportação da fruta. Com duas propriedades, que somam 200 hectares,
destinadas ao plantio de 220 mil pés de banana, sendo 85% nanica e 15% prata, Haiek cuida pessoalmente do pós-colheita e trabalha diariamente na lavagem, seleção e embalagem de suas frutas junto com os 50 funcionários que mantém. O cuidado reflete a preocupação do produtor com o aspecto de sua safra. "Temos uma longa história de exportação para o Uruguai e Argentina. E isso se deve à qualidade de nossa produção. Esse é nosso maior patrimônio", diz. A família Haiek, na figura de Jorge Haiek, avô de Sérgio, iniciou as vendas para o Uruguai há 51 anos. Jamil Haiek, pai de Sérgio, firmou um contrato com a Argentina 16 anos atrás. "A minha missão, como terceira
geração envolvida nessa atividade, é manter a qualidade de nossos produtos", diz Sérgio. Da colheita anual de 270 mil caixas de 21 quilos de banana, 95% segue para o mercado externo, em especial para os clientes Ciro Gentile, do Uruguai, e Bananamerica, da Argentina. "São parcerias construídas com base na confiança e honestidade das empresas envolvidas", diz Sérgio, que diariamente embarca uma carga de mil caixas para o Uruguai. Os contratos no mercado externo garantem ao produtor segurança quanto ao pagamento, tranquilidade em relação à venda de eventuais excedentes de produção e lucro 16% maior que o pago pelos clientes do mercado interno. Em meados de março, a caixa de 21 quilos da banana-nanica era cotada entre R$ 5 e R$ 6 no mercado interno. Sérgio recebe R$ 7 por caixa comercializada aos vizinhos Uruguai e Argentina. Já a banana-prata era comercializada entre R$ 18 e R$ 20 no mercado interno no mesmo período.

Data Edição: 13/04/09    
Fonte: Revista Globo Rural    

“Fruta também reduz risco de ataques cardíacos e reforça a massa muscular”

MANILA - Comer duas ou três bananas por dia é um excelente remédio para superar a depressão, segundo um estudo elaborado nas Filipinas, que destaca o alto conteúdo do trytophan, um antidepressivo natural, na fruta. A conclusão é do Instituto de Pesquisa de Alimento e Nutrição (FNRI).

A pesquisa publicada nesta segunda-feira, 25, assegura que os níveis de trytophan nas bananas mantêm os níveis de serotonina no cérebro e melhoram o humor das pessoas.

O FNRI recomenda a ingestão de duas ou três bananas por dia, equivalentes a entre 20 e 30 gramas de carboidratos e a entre 80 e 120 quilocalorias.

Os pesquisadores filipinos observaram outras virtudes da banana para a saúde, como os altos níveis de vitamina A, C, K e B6.

A B6, especificamente, é essencial na dieta e sua ausência pode provocar insônia, fraqueza e irritabilidade. Os cientistas destacam que a vitamina regula o nível de glicose no sangue, o que também repercute no estado de ânimo das pessoas.

O instituto acrescenta que a banana não produz colesterol nem causa obesidade, reduz o risco de ataques cardíacos e contribui para reforçar a massa muscular e a energia, especialmente nas crianças.

Data Edição: 25/06/07    
Fonte: Estadão    

BANANA PARA VACINA CONTRA HEPATITE B

As bananas aparecem como as melhores candidatas para a produção de uma vacina comestível sob medida para o vírus da Hepatite B (VHB), de acordo com um artigo da ACS’ Biotechnology Progress.

No artigo, os cientistas envolvidos com o projeto somam esforços mundiais na projeção de plantas GM como biofábricas para a produção de vacinas. O foco da pesquisa é a transferência gênica para a produção da vacina contra VHB. Segundo os pesquisadores existem 350 milhões de portadores de Hepatite B no mundo, sendo a cada ano registrado 1 milhão de novos casos. Estima-se ainda que de 75 a 100 milhões de indivíduos infectados podem morrer de cirrose ou câncer de fígado em conseqüência da doença.

Os autores explicam que a produção de uma vacina oral para hepatite B tem mais que apenas vantagens econômicas sobre as vacinas injetáveis existentes para os milhões de doentes nos países em desenvolvimento. Segundo o artigo, os pesquisadores notaram que a banana parece ser o veículo ideal para a vacina de VHB após terem projetado com sucesso diversas plantas para esta finalidade, como batata, alface, cenoura e tabaco.

Data Edição: 13/06/07    
Fonte: Revista Science Daily

BANANA, ALIMENTO PARA OS MÚSCULOS INCLUSIVE O DO CORAÇÃO

A inclusão da banana, rica em potássio, na dieta habitual dos adultos e idosos está sendo recomendada pelos especialistas, depois de estudos acentuarem a importância do mineral para a função muscular adequada, inclusive o coração. Uma banana média, de 115g, fornece um terço das necessidades diárias recomendadas de potássio. Cada banana contém cerca de 100 calorias, principalmente sob a forma de frutose e amido, que o corpo converte em energia. É, por isso, um dos alimentos favoritos dos atletas, que a consideram um anabolizante natural.

Mas a preferência dos atletas tem também uma outra razão: as cãibras, dolorosas contrações espasmódicas dos músculos. Segundo o Dr. João Olyntho, do Comitê Olímpico Brasileiro, a banana por ter grandes quantidades de potássio alivia as cãibras e, por isso, a recomenda aos esportistas. A composição da dieta do brasileiro piorou na última década, alertam especialistas. De 1988 para cá, o consumo de gorduras aumentou, enquanto o de verduras e frutas ficou estável ou diminuiu mais ainda em diversas regiões do país. "A maioria das pessoas, incluindo os idosos, não tem muita vontade de comer esses alimentos", disse a nutricionista Ileana Mourão Kazapi, professora da Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis.

Hipertensão

Os pacientes que usam diuréticos para combater a pressão alta geralmente são aconselhados a comer de duas ou três bananas por dia, para ajudar a repor o potássio eliminado na urina. Em termos de fruta como fonte de potássio, a banana só é superada pelo abacate, que tem o inconveniente de ser rico em gordura. A inclusão da banana na dieta habitual reduz o risco de derrame e doenças relacionadas à pressão sangüínea. Essa afirmação poderá até constar do rótulo da fruta nos Estados Unidos, depois que as autoridades normativas de drogas e alimentos aprovaram os estudos apontando os benefícios da banana.

"Dietas contendo alimentos que representam boas fontes de potássio e pobres em sódio podem reduzir os riscos relacionados à pressão sangüínea e de derrame" diz o rótulo. "Agora podemos confirmar que há uma correlação direta de saúde entre o consumo de banana, e ingestão de potássio e pressão sangüínea baixa." declarou Tim Debus, vice-presidente da International Banana Association, citado pela agência de notícias Reuters. Um estudo endossado pela Sociedade Americana de Hipertensão comparou os efeitos anti-hipertensivos de uma dieta com redução de sódio e outra denominada DASH, Dietary Approaches to Stop Hypertension, baixa em gorduras e rica em frutas, vegetais, fibras e minerais, como cálcio, potássio e magnésio. O segredo para ter uma pressão estabilizada não é somente limitar o sal, concluiu. Na reunião da sociedade, no ano passado, uma das novidades apresentadas foi a importância do consumo de potássio.

"Esse sal mineral protege contra o aumento da pressão e o acidente vascular cerebral"", afirmou Carlos Galarza, da Unidade de Hipertensão Arterial do Hospital Italiano de Buenos Aires e co-diretor do curso da Universidade de Buenos Aires sobre hipertensão arterial e doenças de risco cardiovascular. "O que determina o nível de pressão não é a quantidade de sódio isoladamente, mas a relação potássio/ sódio, que deveria ser de 1 para 1,5 e é de 0,3 para 1", diz Galarza. A banana é também boa fonte de vitamina B6, com pelo menos 10 por cento da dose recomendada de vitamina C e folato. Além disso, fornece 2g de fibra solúvel, que ajuda a diminuir o nível de colesterol no sangue.

Data Edição: 04/05/06    
Fonte: BemStar    

Fonte: http://www.todafruta.com.br/
Comments