Propriedades Quiabo e receita no final



Por ser rico em ferro, é indicado para gestantes. Seu uso é recomendado nas inflamações intestinais e problemas dos rins e bexiga.

QUIABO (ABELMOSCHUS ESCULENTUS (L. MOENCH))

Existem pessoas que não podem nem ouvir falar em quiabo, pois não toleram a baba que sai de seus frutos. Mas o excesso de viscosidade diminui bastante com algumas gotinhas de suco de limão. Embora o quiabo seja mais conhecido como comestível, também possui propriedades terapêuticas. As folhas cozidas são usadas na medicina popular para combater problemas respiratórios. Por conter mucilagem, um composto viscoso, tanto as folhas quanto os frutos são emolientes, sendo empregados na forma de cataplasma para tratar tumores e abscessos. Já as sementes produzem um óleo com que se faz sabão, e a casca do caule fornece fibra para a confecção de tecidos. As folhas ainda servem de alimento para o gado. 

Descrição – Planta anual de porte ereto, com altura de até 3 metros. As folhas, grandes, possuem hastes longas e formato de lóbulo. As flores são hermafroditas, de coloração amarela e solitárias. Os frutos, em formato de cone e pilosos, assemelham-se a cápsulas e possuem tons variados de verde.

Toxicidade – Atóxica. 

Quiabo: pobre em calorias e rico em amido. Apresenta alto teor de folato. Rica fonte das vitaminas antioxidantes A e C e de potássio, eletrólito que mantém o equilíbrio de líquidos no organismo e que ajuda a transmitir os impulsos nervosos. É um apreciado alimento.As sementes do quiabo, no entanto, possuem propriedades medicinais fantásticas no combate de inflamações genéricas. Pelo alto teor de ferro e efeito laxante, recomenda-se para gestantes.

Quiabo – Por ser rico em ferro, é indicado para gestantes. Seu uso é recomendado nas inflamações intestinais e problemas dos rins e bexiga.
Favorece os órgãos digestivos, intestinais, renais e urinários. Usado como auxiliar no tratamento da bronquite e fortalece os ossos pelo seu conteúdo de cálcio.

Originário de regiões da Etiópia, na África, o quiabo chegou ao Brasil nos navios negreiros e até hoje permanece como uma contribuição significativa dos africanos à agricultura e alimentação nacional, ao lado da melancia, no gergelim, feijão de corda, entre outros.

É um arbusto anual, que pode crescer até três metros de altura, dependendo da variedade. Gosta muito de calor, por isso é encontrado principalmente no verão. As folhas são grandes e recortadas. As flores nascem isoladas umas das outras e são amarelas, com o miolo marrom ou roxo. De cada flor sai um fruto de formato cônico e comprido, recoberto por uma pelugem.

 USOS E PROPRIEDADES

O quiabo é rico em fibras e funciona como um regulador do intestino, sendo um laxativo leve. Contem ferro e cobre (necessário para a absorção do ferro e para a formação dos glóbulos vermelhos do sangue) e cálcio, fósforo e vitaminas A, B e C (essa se perde com o cozimento).

Na medicina caseira, o quiabo é estimulante do estômago e do intestino. Infusões feitas com os frutos e as folhas, adoçadas com mel, são benéficas no tratamento de pneumonias e bronquites.

É emoliente e antiinflamatório.

ÉPOCA

O quiabo gosta de calor e prefere as temperaturas entre 22 e 25º C.

No Sitio, só conseguimos colher quiabo no verão. Os arbustos conseguem resistir ao calor forte e às chuvas fortes. Os temporais podem diminuir a produção se arrancarem as florzinhas amarelo claro que dão lugar aos quiabos.

AO COMPRAR

O quiabo deve estar tenro, de uma cor verde uniforme, sem manchas ou pintas. Faça um teste infalível: dobre a pontinha do quiabo – se quebrar, está no ponto. Se curvar sem quebrar, deve estar fibroso e duro.

No Sitio, fazemos uma seleção cuidadosa. Além de serem muito frescos, separamos os quiabos por tamanho, para que o cozimento seja uniforme.

ARMAZENAMENTO

Guarde-o na geladeira em saco plástico e para que obtenha o melhor de seu sabor e textura, consuma-o em poucos dias.

PREPARAÇÃO

O quiabo pode ser preparado de diversas formas: refogado, cozido, assado, em saladas e sopas. O que mais afasta esse alimento tão nutritivo da mesa de
muitas pessoas é sua baba. Mas é fácil tira-la: basta pingar algumas gotas de limão depois de cortadinho, antes de usá-lo ou mesmo durante o cozimento.

RECEITA (que criei e gosto muito!)

Ingredientes
-1/2  pimentão verde/amarelo (compre aquele verde que está ficando meio vermelho, misto).
-1/2 pimentão amarelo
-01 tomates grandes maduros
-01 pimenta cumari verde
-02 a 03 pepinos
-14 a 21 quiabos médios
-01 limão grande
-01 colher de sobremesa de gergelim (opcional)
-03 colheres de castanha de caju salgada
-01 colher de sal marinho
-azeite a gosto

Corte os tomates ao meio e retire as sementes, fatiando em tiras meio finas (tipo 1/2 cm).
Pique as pimentas ao meio (bem fininhas) e retire todas as sementes.
Corte os pepinos em rolas ou como prefira.
Os pimentões (verde e amarelo) retire as sementes e corte em rodelas, depois quebre-os com as mãos para facilitar a mistura no refratário.
Tire as pontas dos quiabos e corte em rodelas deixando as sementes e a "baba" (por sinal é essa baba que ajuda muito nesse prato, por ser um suco natural muito benéfico a todo o corpo).
Misture todos os ingredientes, adicionando o gergelim, castanha de caju, sal marinho a gosto (ou molho de soja) e azeite.
Por fim esprema um limão inteiro e misture na salada.

Deixe curtindo por pelo menos 3 horas, mas o ideal é deixar de um diia para o outro, melhora muito o sabor e o cozimento pelo limão.

Está pronto! Um prato muito saboroso e muito bom para todo o corpo!
Experimente antes de dizer que quiabo cru é ruim, não é não, é questão de costume, a natureza nos dispõe dele assim. Caso realmente não queira do modo natural, pode dar uma pré cozida para amaciar, fica a critério.


Bom apetite!

Terry

Comments