Medicinas Orientais‎ > ‎Ayurveda‎ > ‎

Shamana

Caminhando para o centro,
Reencontrando sua natureza...

Purificar o corpo é essencial para gozar de uma saúde plena e prevenir futuros desequilíbrios. Para a ayurveda a doença acontece quando nos distanciamos demais de nossa constituição original. No desequilíbrio, a doença começa a manifestar seus sintomas e neste momento é essencial levarmos nossa atenção para a nossa rotina diária, mudando hábitos para que a doença (dosha desequilibrado) não transborde de seu local de origem e se espalhe pelo resto do corpo, causando desordens mais graves e generalizadas.

Esta mudança de hábitos, ainda que por um curto período de tempo, tem a função de aliviar e reduzir sintomas e movimentar os doshas para promover a homeostase. O shamana é um procedimento de purva karma, isto é, redução do dosha para que posteriormente os procedimentos de desintoxicação mais profundos (shodana/panchakarmas) possam ser realizados, mas esta prática não precisa ser realizada necessariamente apenas com este objetivo. Incluir o shamana em nosso dinacharya (rotina diária) em períodos mensais ou
semestrais é de extrema importância para a prevenção e promoção da saúde.
Afinal, quanto mais distantes nos encontramos do nosso eixo, mais difícil será o retorno.

As técnicas do shamana variam de acordo com o dosha (constituição) da pessoa, mas basicamente, o paciente deve se submeter em um período de 4 a 10 dias (dependendo da gravidade do caso, até alguns meses) a uma dieta consciente, com ingestão de ervas próprias para o desequilíbrio ou mesmo genéricas ao dosha, massagens nutritivas, secativas, resfriantes ou aquecedoras, prática de ásanas (posturas do Yoga) ou exercícios físicos e meditação. Além de buscar transformar alguns hábitos como por exemplo comer em pé ou em frente a televisão.

Shamana para kapha
Secar, diregir e movimentar

Terapias: udwartna
udwartna , garshana e abhyanga com óleo de linhaça e óleos essências quentes como canela, gengibre e cálamo; swedana com óleo de eucalipto.

Alimentação: leve, seca, quente e bem temperada com especiarias picantes como a semente de mostarda, todas as pimentas e gengibre. Evitar leite e queijos. Monodieta e/ou jejum.

Chás e ervas: diuréticos (cabelo de milho, cavalinha e a carqueja), estimulantes (ginko biloba, gengibre, canela, chá verde, chá preto,
centella, fucus, orégano..) e depurativos (sálvia, alcachofra, dente de leão..)
Banho de sol: pelo menos 1 hora por dia.

Shamana para Pitta
Depurar, esfriar e relaxar

Terapias: abhyanga
abhyanga com óleo de abacate, côco ou leite de côco; shirodhara
shirodhara com butermilk; patra potali anti-inflamatório; óleos essenciais de lavanda, hortelã pimenta, olíbano, vetiver, gerânio, palma-rosa e sândalo; lepa de iogurte.

Alimentação: seca, fria e sem excessos. Preferir alimentos frescos, saladas e sucos. Evitar alimentos fritos e gordurosos.

Chás e ervas: depurativos – dente de leão, boldo, cardo mariano, zimbro, losna, picão preto, alcachofra; doces e adstringentes- hibisco, rosas, jasmim, erva-doce, camomila, hortelã, menta, mil folhas, lípia, calêndula, alecrim, etc..

Shamana para Vata
Nutrir, aquecer e sedar

Terapias: abhyanga
abhyanga com óleo de gergelim, buriti ou ghee; pizzichili,
sweda; todas as modalidades de basti (externo e interno <http://saladeayurveda.blogspot.com/2009/09/basti-e-o-nome-do-tratamen...
rvedico.html> ); swedana leve com óleos equilibrantes e calmantes; shirodhara <http://saladeayurveda.blogspot.com/2009/04/shirodhara.html> ; óleos essências de cravo, capim limão, pachouli, arnica, jasmim, ylang-ylang, néroli e piprioca.

Alimentação: nutritiva e com especiarias que estimulem a digestão.

Chás e ervas: relaxantes, diaforéticos e aquecedores – jasmim, erva doce, funcho, hortelã, gengibre, cidreira, capim limão, lípia, melissa, tansagem, limão, canela, cravo, ginseng, brahmi, fáfia, maracujá..

http://saladeayurveda.blogspot.com/2009/10/shamana.html
Comments