Medicinas Orientais‎ > ‎Diversos‎ > ‎

Previna-se contra os desequilíbrios do sistema endócrino

Na cultura brasileira há muita coisa que precisa ainda se ajustar. Os anos em que vivemos sem um sistema democrático atrasaram inúmeros processos de evolução social, entre eles o desenvolvimento das terapias holísticas, bloqueadas até pelo Ministério do Trabalho. Há quem pense ainda hoje que o terapeuta holístico tem que se voltar somente para o espírito, negando aí a essência holística e a realidade da vida: terapeuta tem despesas e precisa estudar, se aperfeiçoar sempre. Há muito preconceito e muita falta de informação.

Vivi e alimentei por muito tempo os conceitos e preconceitos herdados das gerações anteriores, especialmente por influências européias e americanas, mas felizmente fui empurrado pela espiritualidade para o holístico e hoje vejo com clareza quem atrasa o Brasil, tão carente de saúde, raizes e volta às tradições populares.

O estudo da anatomia humana trouxe o conhecimento dos preceitos mais básicos, de forma a compreender e poder ser mais eficiente naquilo que me proponho como terapeuta. Esse estudo ajudou-me a não só a ver a vida sob outra ótica como também a me integrar às necessidades do novo tempo, trazidas pelo novo milênio. De algum tempo para cá, quem não avançar ficará definitivamente para trás. Não dá para trabalhar bem com Reiki, Musicoterapia, Reflexologia e muitas outras terapias holísticas se não conhecer nuances do corpo humano, os chácras, e os sistemas físicos mais ligados ao trato emocional, em suas causas e efeitos. Com o tempo, as imagens trazidas à minha terceira visão e à intuição, seja no toque ou na conversa com o cliente, ficaram mais nítidas, coloridas, e o entendimento das matrizes passou a ser mais profundo. Agora, se meus guias falam sobre sutilezas da aura de um cliente eu já posso entender a linguagem técnica e trabalhar a origem da causa de forma direta ou simplesmente solicitar que o cliente procure um médico ou uma terapia mais especializada naquilo que se apresenta.

É preciso estar ciente das nossas limitações, mas não se acomodar nelas. Por isso voltei à universidade e me especializei. A espiritualidade insiste: é preciso “não ter medo de nada e ir em frente”. Um dos sistemas mais interessantes e essenciais ao trabalho holístico é o sistema endócrino. Mikao Usui, o canalizador do Reiki Tradicional, e Takata, que trouxe o Reiki para o Ocidente, destacavam a importância da harmonia no sistema endócrino e o balanceamento dos chácras para o equilíbrio do corpo. Ele é constituído das seguintes glândulas e seus respectivos chácras: hipotálamo (coroa), pituitária (terceiro olho), tireóide e paratireóide (garganta), timo (coração), córtex (plexo solar), supra-renais (chácra básico), ovários e testículos (sacral). O sistema endócrino regula várias funções corporais, incluindo o sistema reprodutor, imunológico, de crescimento, o metabolismo, respostas alérgicas e intolerâncias. O principal trabalho dessas glândulas é produzir hormônios que transitam pelas artérias e tecidos. Elas trabalham com independência e harmonia. Os desequilíbrios neste sistema causam, entre outras, disfunções na tireóide, diabetes, Doença de Addison, hipoglicemia e obesidade.

A glândula tireóide precisa de iodo - Localizada no pescoço, a glândula tireóide é responsável pelo controle das atividades gerais do corpo. Quando excede suas atividades provoca aquecimento, acelera o processo digestivo, traduzindo tudo isso em excitação ou acúmulo de energia física. Esse estado pode levar a problemas cardíacos, perda de peso exagerada, entre outras. Uma tireóide “preguiçosa” pode levar a apatia, fadiga, problemas cardíacos e menstruais, e aumento de peso. Esses desequilíbrios são muito comuns, mas podem ser evitados antes que se tornem sérios. A prevenção é qualidade de vida. Ocasionalmente, problemas na tireóide estão conectados a outras desarmonias físicas, incluindo diabetes, artrite reumática, inflamações, sensibilidade ao frio e, de forma mais rara, câncer — e emoções reprimidas. Como ela está na esfera de influência do chácra da garganta, desarmonias aqui são sinais de muitos sapos engolidos e coisas não ditas. Deficiência de iodo pode acontecer, também, quando a pessoa está na barriga da mãe e transmitida ao feto pela genética. As mulheres são mais vulneráveis a desequilíbrios na tireóide do que os homens. Para os orientais, o hipertireoidismo é causado pelo excesso do elemento fogo no fígado, provocado pela perda da sintonia desse órgão, daí a irritabilidade, ansiedade, sudorese noturna, menstruação desregulada. Estudiosos ingleses perceberam que pessoas que sofrem do Mal de Parkinson também sofrem de hipertireoidismo.

Alga marinha, servida especialmente nos restaurantes japoneses, ajuda a prevenir e combater esse desequilíbrio. Cebola é tida como auxiliar na prevenção do hipotireoidismo, causada também pela falta de zinco, vitamina “A”, selênio, ferro e intoxicações. Peixe é uma fonte natural de vitamina “A”. Camarão fornece o zinco. Alho provém iodo e desintoxica. Castanha do Pará contém selênio. A alimentação balanceada é a chave para o equilibro. Na China e na Índia, tudo o que não é alimento é remédio e vice-versa. Óleo de gerânio equilibra a produção de hormônios, de forma que se houver problemas com a tireóide eles podem se manifestar após uma sessão de aromaterapia com esse óleo. Homeopatas indianos trabalham os desequilíbrios da tireóide com Nat Mur. Vale lembrar que, em todos os casos, só médicos podem prescrever remédios.

Diabetes - A mais comum forma de diabete é chamada de “mellitus”, causada pela falta de insulina, produzida pelo pâncreas — mas tem raízes emocionais também, a falta de vontade de viver, o pessimismo, o sentimento de menos-valia. Isto provoca a deficiência no processamento de glicose pelo organismo. A elevação da glicose no sangue provoca a baixa absorção da energia vital pelos tecidos. A energia vital caída é sinal de desequilíbrio nos chácras. Excesso de urina, muita sede, perda de peso, fadiga, fraqueza, apatia, má respiração podem ser sinais de diabete. Esses sinais também podem estar relacionados a outras deficiências. As complicações advindas dessas deficiências podem causar danos nos nervos dos olhos, na retina, nas veias, rins, circulação nas pernas e até gangrena. O Tipo-01 é o que tem o pâncreas “preguiçoso” gerando a dependência da insulina. A variação no nível de açúcar no sangue pode provocar oscilações entre hipoglicemia (estranhas sensações, comportamento anormais e risco de coma) e hiperglicemia (coma). O Tipo-01 geralmente aparece da adolescência aos 35 anos de idade. O Tipo-02 está mais ligado à maturidade, em torno dos 40, geralmente associado à obesidade ou gravidez. Este tipo pode ficar incubado por muito tempo antes de dá sinais de existência. Estatísticas apontam os homens caucasianos como os mais propícios a esses problemas. Alfafa, alho e cebola são considerados aliados no combate e na prevenção de diabete, mas precisam ser ingeridos diariamente. Suco de laranja com gengibre e brócolis são excelentes para levantar a imunidade.

“Doença de Addison” - Pouco divulgada porque é rara, a “Doença de Addison” apresenta-se como um desequilíbrio nas glândulas supra-renais devido à insuficiência de cortisol e aldosterona, hormônios responsáveis pela reação do corpo ao estresse e também pelo balanceamento do nível de água. Rins estão ligados à memória dos antepassados. A causa dessa desarmonia é inflamação seguida de atrofia da camada externa (córtex) das supra-renais. Parte do problema deve-se a uma anormal reação do sistema imunológico na qual ele trata o tecido da glândula como se esse fosse um corpo estranho. É considerado um fracasso do sistema imunológico porque ele volta-se contra si mesmo em processos infecciosos e/ou tuberculose. O tratamento para esse mal só apareceu em 1950. As principais manifestações aparecem em forma de fraqueza, fatiga, baixa pressão arterial, excesso de urina, perda da cor da pele. Na aromaterapia, óleos essenciais de gengibre e alecrim incentivam o bom funcionamento das supra-renais direita e esquerda.

Hipoglicemia - O baixo nível de glicose no sangue chama-se hipoglicemia. É extremamente perigosa porque o cérebro precisa ser alimentado constantemente de glicose. Há o perigo de overdose de insulina por quem não tem controle sobre essa desarmonia. Para quem não é diabético, a prática excessiva de exercícios físicos e a insuficiência de carboidratos pode levar à hipoglicemia. Sinais de desequilíbrio: dor-de-cabeça, pulso acelerado e com palpitações, confusão mental e perda de memória, suor, comportamento irracional, alargamento da língua de forma que as pessoas “engolem” palavras. Tem muito a ver com pessimismo, auto-boicotes, falta de vontade de viver.

A chamada hipoglicemia orgânica é conseqüência do mau funcionamento do pâncreas, supra-renais, pituitária, tireóide e glândulas sexuais. O alcoolismo é apontado como responsável pela hipoglicemia porque o álcool impede o fígado de produzir glicose. Câncer e outras disfunções no fígado também impedem a produção de glicose. Cebola, alho, semente de lótus e levedo de cerveja ajudam a nivelar a açúcar no sangue. No Floral de Bach, o Rescue é indicado para acalmar e amenizar o nível de abrangência das crises.

Obesidade e gota - A obesidade é o excessivo acúmulo de energia em forma de gordura e é assim categorizada quando o corpo expressa 20% a mais do peso normal. As principais causas são: excesso de caloria vinda da alimentação desregulada, baixa taxa de metabolismo, fatores genéticos, problemas emocionais, desequilíbrio da tireóide, consumo excessivo de açúcar — o principal veneno humano.

O processo pode se agravar para o desenvolvimento de outras disfunções como ataque cardíaco, pedra nos rins, artrite, hérnia e falta de fertilidade. Aumentam também as chances da pessoa sofre de hipertensão arterial etc. Mulheres obesas são mais propensas a desenvolver câncer nos ovários, no útero, e problemas de diabete depois dos 40. Homens podem desenvolver câncer no cólon e na próstata. É muito comum também problema nas juntas e nos joelhos que por sua vez podem desenvolver a gota.

Um bom copo de suco de uva puro tomado diariamente pode combater a obesidade porque diminui o apetite. Uma colher diária de pólen estimula o metabolismo do corpo e diminui o apetite. Jiló cru e batido no liquidificador com suco de laranja, sem açúcar, estabilizam os níveis naturais de açúcar e sal no corpo (o suco aí funciona como diminuidor do amargo do jiló). O obeso deve tomar muita água e comer muita fruta. Repolho cru é antiinflamatório e traz inúmeros benefícios. A obesidade está muito ligada a falta de auto-estima, o sentimento de rejeição, a falta de amor próprio, por si mesmo.

Banhar os pés com óleo essencial de pinho aumenta a circulação e alivia as dores causadas pela gota. É importante ter em mente que cada pessoa tem um corpo completamente diferente. O meu desequilíbrio no sistema endócrino pode ter um quadro completamente diferente do seu porque problemas neste sistema tem muito a ver com problemas espirituais individuais. Reiki associado a florais e cromoterapia restaura o equilíbrio.





fonte: http://www.joacir.jor.br/index.php?s=estabilizam
Comments