Acupuntura ativa os hormônios do crescimento (GH)


Técnica milenar apresenta resultados surpreendentes no crescimento

Diversos fatores contribuem para nossa estatura adulta. A partir de uma célula, resultado da fusão de um espermatozóide com um óvulo, desenvolve-se um organismo extremamente complexo e infinitamente maior. Para este desenvolvimento vários aspectos são importantes tais como nossa carga genética, aspectos nutricionais, hormonais, emocionais e comportamentais.
Filhos de pais com determinada estatura terão sua altura muito próxima do pai correspondente do mesmo sexo, ou seja, um filho terá uma altura próximo a de seu pai, e uma filha, próxima a da sua mãe. Para um cálculo aproximado, costuma-se usar a seguinte fórmula: soma da altura dos pais mais 13 centímetros para os meninos (ou menos 13 centímetros para as meninas) dividido por dois. Temos assim o que chamamos de "altura-alvo" de uma pessoa. A altura é considerada normal se for seis centímetros acima ou abaixo do valor calculado. Neste contexto, tem-se a expectativa de que pais baixos terão filhos baixos e pais altos terão filhos mais altos.

Outros fatores também são importantes no processo de crescimento como a alimentação, que deve ser adequada desde a vida no útero materno. Uma mãe que tem pressão alta, que fuma ou que é desnutrida poderá ter um recém-nascido com baixo peso e estatura comprometida que irá determinar um comprometimento da altura na vida adulta dessa criança. O uso de medicamentos, principalmente os que contêm cortisona, pode afetar o crescimento das crianças.
A Acupuntura, método terapêutico milenar de origem chinesa, baseado num mapa de pontos do corpo humano, estimulados através de agulhas a produzir e liberar substâncias que atuam no sistema nervoso central é hoje, o único método natural, eficaz,sem contra indicações e sem efeitos colaterais – já que é inóquo - que ativa o hormônio do crescimento (GH) em crianças que estão entrando na puberdade (entre 8 e 13 anos para as meninas, e entre 9 e 14 anos para os meninos). O tratamento através da acupuntura, quando iniciado nesse período, propicia resultados excelentes, superando as expectativas dos pais. Quanto mais cedo for diagnosticado o baixo crescimento, melhores serão os resultados da terapia com acupuntura.
O hormônio do crescimento, também conhecido como GH (do inglês, growth hormone), é produzido naturalmente pelo nosso organismo. O tratamento com acupuntura é indicado quando é constatado que o próprio organismo não fabrica a quantidade suficiente dessa substância, o que leva a criança a crescer menos do que deveria. E isso pode acontecer por algumas razões, como falha na glândula hipófise, localizada no cérebro e responsável pela produção do GH; doenças pré-existentes, tumores cerebrais, tratamentos com radioterapia e cirurgias cerebrais podem afetar o bom funcionamento dessa glândula. Também, se houver algum problema no hipotálamo, a região do cérebro que regula a secreção do hormônio pela hipófise, o crescimento da criança fica comprometido.
No momento em que o pediatra perceber que houve uma diminuição ou parada no ritmo de crescimento da criança que está entrando na puberdade, o tratamento poderá ser iniciado com sessões semanais. Aparecida Enomoto, graduada em MTC – Medicina Tradicional Chinesa, com especialização em Acupuntura pela Universidade de Medicina Tradicional de Beijing e em fisioterapia, é uma das pouquíssimas especialistas do tratamento da Acupuntura para crescimento no Brasil. “Além do tratamento com as agulhas, é importante também uma série de fatores comportamentais para o crescimento ideal da criança. Meninas e meninos com boa estrutura familiar, sem carências afetivas, respondem melhor ao tratamento”, declara a especialista.
Dra. S., mãe de R., hoje com 15 anos (que preferem não se identificar), procurou o tratamento com acupuntura, pois seu filho na época com 13 anos, se achava baixo em relação aos amigos da mesma idade na escola e isso o incomodava. “Procurei uma endocrinologista, fizemos todos os exames e ela apenas disse que estava tudo dentro da normalidade. Mas quando tomei conhecimento da terapia com acupuntura, conversei com meu filho e ele aceitou realizar o tratamento, já que somos contra o uso de hormônios, que tem tantos efeitos colaterais e não queríamos correr esse risco.
Quando iniciamos o tratamento em 2005, ele tinha 13 anos e 1m61. O resultado foi muito rápido e vi a auto-estima do meu filho se elevar de uma maneira inacreditável”. Com 15 anos a altura passou a 1m81, ou seja, cresceu 20 cm nesses dois anos. “Lógico que confiei nesse tratamento por ter sido feito pela maior especialista desse tratamento no Brasil, que cursou universidade na China e que além de tudo, sabe lidar com crianças e adolescentes de maneira única”, declara a Dra. S.
Nos dias atuais, os hábitos inadequados também interferem no crescimento da criança, tais como o sedentarismo, o sono irregular, alimentação ruim, etc. O tratamento é feito através de estímulos no Sistema Nervoso Central através dos meridianos de acupuntura com pequenas agulhas finíssimas, sendo, portanto, quase indolor. Inicialmente é feito um treinamento para que a criança não se sinta agredida.
As sessões devem ser semanais e a primeira sessão dura cerca de duas horas. Após inserir as agulhas, a criança fica em repouso, sempre acompanhada pelo pai ou pela mãe por cerca de vinte minutos. Está incluso no tratamento a dieta e alguns exercícios físicos.
O diagnóstico é fundamental antes de iniciar o tratamento. É realizada uma avaliação clínica da criança, ventilação das vias aéreas superiores, doenças, valores nutricionais, etc.
Como saber se seu filho tem a estatura ideal?
Para identificar se uma criança está crescendo de maneira saudável e dentro das medidas padrões para a sua idade, os especialistas recorrem à tabela abaixo. 






Fonte tabela: MANUAL DO BEBÊ, DE RUY PUPO FILHO (EDITORA ALEGRO)
"Existem também situações específicas onde a terapia com acupuntura é indicada, como em algumas síndromes que afetam o crescimento."
Saiba mais através do site www.acupunturaenomoto.com.br
Comments