Moxabustão

A moxaterapia, moxabustão, ou simplesmente moxa, como é conhecida no meio dos terapêutas e praticantes de Medicina tradicional Chinesa, tem sua origem real desconhecida, sendo conhecida na China com o nome de Jiu Fa. O nome moxa deriva das palavras Mechia (português) ou Mogusa (japonês).

Até onde se sabe, a moxa é muito mais antiga que a acupuntura, pois foram encontrados relatos da utilização da moxa nas tumbas de Ma Wan Dui, em Changsha, na província de HuNan, no sul da China. Estes relatos datam de aproximadamente 168 a.C. (os primeiros relatos sobre o uso de agulhas (acupuntura propriamente dita) datam de 90 a.C.).

A moxabustão é feita a partir do veludo da planta Artemisia (Artemisia vulgaris, família Compositae).

 O veludo de artemísia nada mais é do que o resultado do processo de coletar a planta, separar as folhas dos talos, por para secar, e depois de secas, as folhas são esmagadas até formarem uma plumagem fina, após são peneiradas para retirar as impurezas, e está pronto o veludo de artemísia. Cosidera-se o melhor veludo aquele com aproximadamente sete anos, e de cor amarelada.

Moxa pronta

Moxa pronta

 

Formas de Uso

A moxa pode ser usada de maneira direta ou indireta.

A moxa direta é a colocação dos cones de moxa diretamente sobre a pele, ou utilizando-se um bastão ou charuto de moxa, de forma que fique sem cicatriz; com bolha ou com cicatriz. Tudo depende dos resultados que se quer obter e do tempo que se deixa o cone queimando sobre a pele.

A moxa sem cicatriz pode ser feita utilizando o bastão de moxa e fazendo a estimulação sem o contato com a pele, ou então queimando-se cones pequenos ou médios diretamente sobre a pele do cliente, retirando-os antes do paciente sentir queimar. Este método é mais indicado para tratar o Vazio e o Frio (lombalgias, diarréia, dores abdominais, etc).

A moxa com bolhas é feita utilizando-se cones pequenos de moxa que são queimados até o cliente sentir a sensação de queimação (deixar de de 3 a 5 segundos após o paciente referir a sensação de queimação). Nestes casos devemos tomar alguns cuidados, como não furar a bolha e protegê-la com um curativo. Esse método pode ser utilizado para tratar casos de asma e bronquite.

A moxa direta com cicatriz atualmente é um método pouco utilizado, principalmente no ocidente, mas produz resultados excelentes nos casos de asma (B12, B13, B43 e VC 17); úlceras gastroduodenais, edemas (VC4, VC6, VC9 e E36); impotência (VC6 e E36); manutenção preventiva da saúde (E36, B43 e VC6). Esse método é executado utilizando-se cones vários cones de moxa, deixando-os queimarem até o final. Para aliviar a dor, podemos dar pancadinhas ao redor do ponto. Devemos também limpar a queimadura e protegê-la com um curativo. Devemos ficar atentos à cicatrização, pois pontos esverdeados ou amarelados indicam infecção e devem ser tratados de acordo.

A moxa indireta normalmente utiliza alguma substância fazendo a interposição entre o cone de moxa e a pele do cliente, sendo que normalmente os produtos mais utilizados são fatias ou pasta de alho, fatias de gengibre e sal.

A moxa indireta sobre o alho refresca o Calor, elimina toxinas, vivifica o sangue, dissolve os acúmulos e auxilia a diminuir e eliminar os inchaços, sendo indicada para casos de furúnculos, picadas de animais e insetos peçonhentos, fase inicial de úlceras cutâneas e tuberculose óssea.

A moxa indireta sobre o gengibre tonifica o Vazio e expele o Frio. É indicada para os casos de dispepsia, abdome doloroso, diarréia, espermatorréia, ejaculação precoce, dores reumáticas (Bi por Vazio-Frio).

A moxa sobre o umbigo nunca deverá ser feita de forma direta. A forma mais comum é enchendo o umbigo do cliente de sal, para dai então colocar um cone de moxa sobre o sal. Esta técnica é indicada para refrescar o Calor, eliminar toxinas, fortificar o Estômago e os Intestinos, impede a debilidade e faz voltar o Yang. Trata gastroenterite aguda, desarranjos intestinais, vômitos, doenças crônicas de estômago e intestinos, prolapso anal, colapso por golpe de vento.

Contra-Indicações da Moxa

Como todas as técnicas terapêuticas, a moxabustão também tem suas contra-indicações:

  • Doenças febris com pulso rápido e Yin vazio.
  • Doenças de Plenitude-Calor.
  • Nos casos de Yin Vazio com Calor Falso.
  • Cefaléia devido a excesso de Yang de Fígado.
  • Zhong Feng Fechado.
  • Pacientes desnutridos ou de constituição muito frágil.
  • Pacientes que comeram muito ou que estão alcoolizados.

Deve-se evitar o uso de moxa nestas situações:

  • Região lombossacra e baixo ventre em gestantes.
  • Pacientes que tiveram grandes perdas de líquidos (transpiração profusa, hemorragias e edemas generalizados).
  • Moxa direta no rosto ou ao redor de orifícios naturais, em cicatrizes, pontos descarnados, articulações de punho ou tornozelo.
  • Moxa na região do Coração, ao redor dos olhos, no pescoço e na nuca, sobre os órgãos sexuais e nas proximidades de uma mucosa ou vaso sangüíneo importante.

Existem ainda alguns pontos que, segundo a literatura clássica, são proibidos para a utilização de moxa:

  • VG3, VG6, VG15, VG16, VG25
  • B1, B2, B6, B10, B15, B30, B36, B37, B40, B62
  • VB15, VB42
  • E7, E8, E9, E31, E32, E33, E35, E38
  • TA4, TA23
  • IG19, IG20
  • ID9, ID17, ID18
  • P3, P8, P10, P11
  • BP1, BP7, BP9, BP16, BP20
  • VC15
  • CS9

Após o tratamento com moxa, deve-se:

  • Beber com moderação
  • Evitar comida crua, gordurosa ou álcool
  • Abster de relações sexuais
  • Evitar situações de estresse
  • Evitar se expor ao Frio, Vento Frio, Umidade








fonte: http://zhenjiu.com.br/moxabustao/
Comments