A Ilha Azul

Posto a minha Deva!

As tumbadoras tocaram na Ilha Azul,
o som das trombetas ecoaram pelas cavernas,
todos os Yoguis acordaram em êxtase divino.

Cantos de todos os cantos entoam Om,
nas margens das praias, areias feitas de cristal,
diamantes e safiras azuis brilhavam por todos os lados.

Suas terras brancas cintilavam ao longe,
e suas flores perfumavam com mirra e sândalo os Passos do Divino.

Terra vista por duas luas,
terra iluminada por três sóis,
céu estrelado no Omniverso,
de cores tão variadas quanto um arco-íris.

A sim, lá estava Ela,
dançando entre Yoguis,
pairava pela terra branca como uma tocha,
com Seus braços abertos,
entrelaçando a Si mesma em Samadhi.

Sim, sim, sim!
Oh! Deva Iluminada!
Curvo-me a Teus Pés de Lótus!
Saúdo-Te em Amor!

Oh! Deva Divina!
Sim, curvo-Me diante Ti,
sinto Teu Amor em Mim,
e o Meu Amor em Ti!

Oh! Deva de Amor!
Somos Unos Novamente!

Om Om Om

Terry
Comments