Assumindo qualquer forma

Assumindo qualquer forma pela não forma,
sem corpo sou livre da matéria pensada,
vôo calmo e sereno pelos verdejantes mares da floresta,
entre elementais e devas,
acima e abaixo do véu,
no mais profundo do espaço,
no mais perto dos parques,
o puro e divino,mar de energia.

Pela mata assumo a forma de um tigre,
corpo pesado e flexível,
musculoso e elástico,
estendendo as garras pelas árvores,
correndo robusto pelas águas.

Saio e pairo mais uma vez,
como um pequeno roedor,
entrando e saindo da terra,
cavando túneis,
seu corpo pequeno e frágil,
porém astuto e quente,
com receio dos predadores,
sem receio da morte.

No ar vou caminhando,
entro pelos olhos da águia,
vendo ao longe o perto,
sem temer o céu,
indo alto até o grande mergulho,
leve como a pluma,
atento como a respiração.

Sob a não forma,
vejo a árvore centenária,
estacionada em atenção,
cheia de historias e estórias,
contando entre os seus,
casos de outrora.

Nas águas não tenho reflexo,
no vento não respiro ar,
sob o sol não sinto calor,
nem sob a luz o frio.

No caminhar não deixo passos,
passo seguro entre o tigre sem pisar no rato,
atravesso árvores sem tocar no tronco,
entro na água sem molhar o corpo,
livre no agora...

Mente calma,
corpo ativo,
mente ativa,
corpo calmo,
alma livre...

Completo amor...



Namastê,
Terry
Comments