Babaji – Luz e Fé na Noite dos Homens

Na minha época mais triste, você chegou e mudou tudo.
Eu estava ensimesmado em mim mesmo, triste e sem rumo.
Mas você me mostrou a luz, e ela estava brilhando em seu peito.
Ah, eu vi, sim; e era como um sol rosado, da cor do amor mais lindo.
Então, você me deu a mão e me levou para fora de minha tristeza.
E me ensinou a valorizar o amor verdadeiro e a paz de espírito.
Eu vi sua serenidade silenciosa e sua ação firme, por entre os planos...
Ah, quantas vezes eu vi você resgatando trânsfugas extrafísicos de covas escuras.
Eles xingavam e gritavam tanto, perdidos na noite dos tempos.
Mas você estendia a mão para eles e também os levava para a luz.
E eu sempre vi você em silêncio, serenamente espargindo bênçãos secretas.
Jamais o vi doutrinar ninguém, nem mesmo os seres mais maldosos.
Alguns deles tinham até escamas plasmadas, mas você os abraçava igualmente.
No meio das covas escuras, você era o sol de amor devolvendo a luz perdida.
Ah, eu vi você muitas vezes agindo em silêncio, a favor dos esquecidos do mundo.
E os seus olhos eram duas estrelas iluminando a jornada dos espíritos infelizes.
Assim como, um dia, me despertaram e iluminaram a minha jornada também.
E eu me pergunto, se aqueles que receberam sua ajuda, sequer sabem quem é você?
Talvez eles contem lá no Astral, do homem com a luz rosada no peito que os ajudou.
E, aqui na Terra, talvez outros imaginem que você esteja sentado em algum templo.
Ou rodando à toa pelas trilhas do Himalaia com seu grupo de discípulos.
Mas eu vi você nas trilhas dos corações sofridos, e havia ali uma cordilheira inteira.
Ah, eu vi você viajando pelas trilhas secretas e erguendo os fracos do caminho.
E a Kryia Yoga que eu vi você aplicar, era puro amor viajando nas ondas do Bem.
Você sempre ajudou a todos, sem perguntar se alguém era iniciado em alguma coisa.
O sol em seu peito jamais ofuscou ninguém, pois como o amor machucaria alguém?
E eu nunca vi você julgando alguém. Pelo contrário, sempre vi você dando a mão...
Ah, meu amigo, eu nunca contei para ninguém antes, mas uma vez eu vi você orando.
E lágrimas de luz rolavam em seu rosto. E, onde elas caíam, brotavam flores.
E, quando os espíritos sofredores pegavam em suas pétalas, elas viravam luz.
E eles imediatamente eram transportados para um lugar acima, para sua cura.
Sim, eu vi mãos cheias de trevas tocando as flores de lótus, e subindo...
E as furnas escuras ficaram rosadas... Porque você, um sol de amor, estava lá!
E agora, no lugar da lama sanguinolenta, estão as flores de lótus a guiar o caminho...
E quem toca nelas, voa... Para dentro da Luz.

BABAJI* – LUZ E FÉ NA NOITE DOS HOMENS...
(Uma Visão Luminosa na Noite Escura e Chuvosa)
 
Eu vejo Você na rua escura, no meio da noite...
Está chovendo, mas eu O vejo claramente, perto das árvores.
Porque os Seus olhos parecem dois pequenos sóis.
E porque está chegando um amor em meu coração...
E, então, os meus olhos também ficam como os Seus, com brilho espiritual... Você ilumina minha noite!
E que legal saber que Você está aqui, na grande metrópole de aço e concreto, cinzenta e chuvosa, junto com todos nós.
Ah, eu olho Você, e fico igual menino...
Porque eu sei que Você aprecia a simplicidade e a alegria de viver.
Eu sinto o Seu amor e meu coração vê algo belo na noite escura...
A beleza de um grande amor viajando secretamente pelo mundo e iluminando a noite dos homens sem fé e sem coragem.
Está chovendo na noite, mas Você está aqui, com o brilho da aurora nos olhos.
Ah, meu amigo, Você me permite contar para as pessoas de Sua presença aqui? Que, mesmo na área urbana, em silêncio, você está fazendo Seu trabalho de amor secreto?**
E esse amor, meu amigo? Como falar disso, que só se sente no coração?
Mesmo assim, eu Lhe pergunto novamente: “Você me permite dizer aos homens que um grande amor em forma de avatar*** está aqui? E que essa noite chuvosa ficou luminosa, para quem vê com o coração?”
E que alegria poder perceber isso!
Ah, Babaji, Você está aqui e, mais uma vez, o amor me faz pensar na eternidade do espírito e na força da luz... E o meu coração vira menino!
A chuva continua caindo, mas há um sol aqui... É a luz da consciência cósmica!****
E, nessa noite especial, eu Lhe agradeço pela presença carinhosa e firme.
E, em nome de todos que estão aqui presentes, com o Seu brilho no olhar, eu apenas escrevo, para dizer que a noite chuvosa está linda, como nunca. Porque você está aqui!
Que alegria! Que luz! Que legal!
Obrigado.
 
P.S.:
Ah, Babaji, muito obrigado por me deixar ver sua luz, sem me ofuscar.
Ao longo dos anos, em muitas saídas do corpo, eu presenciei e também participei de vários trabalhos de assistência extrafísica. E vi seres de luz operando secretamente nos níveis mais densos do plano espiritual, resgatando espíritos infelizes. Observei e me maravilhei com a serenidade deles. Jamais os vi humilhando ninguém. Eles sempre agiam silenciosamente. E, quando o meu olhar cruzava com o deles, eu era invadido por uma onda de amor sereno, que me fazia voltar para o corpo físico chorando. Porque era muito amor para o meu coração agüentar. E eu digo isso sem vergonha alguma. E, quem já teve uma experiência dessas, sabe exatamente do que estou falando. É tanto amor que desequilibra a gente. Por isso as consciências mais elevadas reduzem suas vibrações, quando se manifestam em níveis mais densos. Não é só para estar ali, mas, também, para não desequilibrar os seus irmãos menores na senda.
Hoje, eu estou falando da ação silenciosa de Babaji, por entre os planos... Porque ele, mais uma vez, generosamente me permitiu ver e registrar a assistência extrafísica promovida por ele e seu grande grupo de trabalhadores espirituais. E eu sei que, só de relatar tal coisa, já rola uma evocação de suas vibrações a favor da humanidade. E, como bem dizia o simpático mestre Lahiri Mahasaya, basta pronunciar o nome de Babaji para o devoto atrair uma bênção imediata.
Eu não sou iniciado por grupo algum aqui da Terra. Aliás, nem entraria em algumas reuniões. No entanto, há coisas que nunca foram desse mundo mesmo. E, às vezes, pela generosidade do Alto, me é dada a oportunidade de ver e participar de lances espirituais muito legais. E hoje o lance é esse: contar sobre a vez em que vi o mestre Babaji orando e transformando a lama trevosa em flores de lótus*.
E, maravilha das maravilhas, só de escrever essas linhas, eu sinto um Grande Amor descendo em meu pequeno coração. E o Rama, o meu cachorrinho, está aqui pulando e querendo vir para o meu colo. Acho que ele viu uma luz rosada acendendo o meu coração...
Ah, Babaji, os seus olhos são duas estrelas brilhando por entre os planos, em nome do Amor e da Luz.
 
(Dedicado aos mestres Lahiri Mahasaya, Sry Yuketswar, Paramahamsa Yogananda, e Hariharananda - e a todas as pessoas que andam com um Grande Amor em seus corações e, por isso mesmo, são fortes e capazes de perdoar e permanecer firmes em suas jornadas, humanas e espirituais.)


P.S.:
Você veio no escuro da noite e seus cabelos tinham o brilho do cobre.
E, no silêncio do espírito, Você falou ao meu coração sobre luz e fé.
E, agora, eu olho as pessoas e também vejo nelas um brilho espiritual... Que é o do seu olhar refletido no olhar delas.
Então, pela luz e pela fé, vamos nessa!


 
Paz e Luz.
 
- Wagner Borges –
São Paulo, 24 de abril de 2009.

Comments