Calma, fique tranqüilo

Calmo, tranqüilo,

sob o som celestial,

ando calmo, tranqüilo.


Melodias cantam a verdadeira canção,

por onde passo sorrisos vem e vão,

o vento sopra folhas multicoloridas,

fruto verde amadurece num instante.

 

O tempo passa diferente,

quando o coração esta contente,

ama a si mesmo como ama a amada,

é filho de um único Pai,

contemplando em todos os seres,

a mais pura luz celestial.

 

Quando a mente está quieta de pensamentos,

o simples bater de asas do inseto,

é vendaval nos ouvidos cortantes,

mas para aquele verdadeiramente submerso no amor,

escuta apenas a canção, flutuando.

 

Com seus pés firmes no chão,

voa livre na imensidão,

não se prende ao corpo, seja qual for,

é essência, néctar da canção,

calmo, sereno,

diz que ama mesmo na ilusão,

porque compreende o cheio e o vazio,

como uma só divisão.


Calmo e tranqüilo,

transborda amor e compaixão,

cantando mantras, entoando o Om,

sabe que seus passos são guiados,

sua voz não ressoa confusão,

é luz dentro da escuridão,

conhece sons angelicais,

assim como os padrões elementais,

mistura tudo, na pura alquímica,

transforma amargo em doce,

tranqüiliza teu coração,

calmo e tranqüilo,

voa livre agora...

no amor, na imensidão...

na pura canção, agora.


Namastê,

Terry

Comments