Caminhando na mata

Todos os dias existe algo bonito para se ver, um motivo para vivenciar o amor, quando assim o fazemos lembrando da bondade que nos anima como espíritos de luz.

Certo tempo atrás um senhor de barbas já brancas caminhava no meio da mata perdido entre pensamentos, se questionando sobre a vida, sobre si mesmo e sobre as tantas diferenças que nos torna humanos, estes que conseguem criar tantas dificuldades para viver em amor.

No meio do caminho este senhor encontrou uma jovem senhora, ainda na flor na idade, cantando entre as arvores e assobiando feito pássaro que acabara que saborear o mais doce fruto da árvore da vida.

Nesse encontro quase mágico, a jovem senhora percebendo as rugas que franziam a testa do senhor, em conflito consigo e com a vida, lhe dá um grande abraço, e dizendo as seguintes palavras bem ao pé do ouvido:

-Senhor, a vida é feita de aprendizado! Enquanto as pessoas não aprenderem sobre si mesmas, sobre o amor que gera vida no intimo de cada um, todos terão em suas mentes uma limitação chamada EGO.

Esse EGO vem de dentro, dos pensamentos, da forma como queremos que o mundo e as pessoas nos vejam. Perceba minha situação, sou uma velha em corpo de jovem, e o senhor um jovem em corpo de velho. Eu canto canções de outrora onde a natureza do homem respeitava acima de todas as coisas, a natureza do Amor. O senhor vem de uma cultura onde a natureza do homem desde que nasce, procura competir para provar algo ao seu próprio semelhante, esquecendo de provar a si mesmo a essência do amor no coração.

Somos feitos do mesmo material nessa Terra abençoada, condensados em um corpo tão vasto quanto o próprio universo. Temos dentro do peito a mais linda flor colorida, nela se encontra toda a essência do mais Sublime Despertar. Ainda sim, tendo tudo dentro de nós, grande parte do tempo passamos procurando meios de satisfazer nosso próprio EGO, os desejos de que as pessoas aceitem nossa verdade como a única verdade, mesmo sabendo que nossa verdade nunca será a mesma para os outros, já que sempre estamos aprendendo coisas novas, e o que antes era verdade, hoje não passa de lembrança da nossa infância nas oliveiras.

O senhor se questiona sobre o porque de tantos conflitos e tanta dualidade entre as pessoas, o porque do medo, da ansiedade, da angustia que castiga com chicote de ferro a mente e o corpo daqueles que caminham sobre a Terra. Isso acontece porque as pessoas ainda não aprenderam sobre o respeito, a compaixão e a aceitação dos seus próprios erros. Quantas realmente sentam-se juntas para uma conversa sem EGOS? Quantas pessoas realmente podem se abrir perante outras sem serem julgadas?

Na era atual são poucos aqueles que disputam vencer suas próprias limitações, preferindo criar um falso julgamento sobre o intimo que não conhecem do seu semelhante, acreditando que ensinando suas verdades estarão criando replicas de si mesmso em outros corpos. Isso é uma tentativa desesperada por atenção, é uma carência tão grande no intimo das pessoas, que precisam se apegar a qualquer coisa para suportar a situação em que se encontram, porque procuram somente mudar o mundo externo sem ao menos se esforçar por uma mudança interna.

A expectativa que depositamos nas pessoas fere muito o coração, porque nunca irá chegar o momento em que esse pote de emoções possa realmente ser preenchido completamente. O dono desse pote chama-se EGO, ele é um voraz devorador de desejos, insaciável e incompreendido parte do que nos ajuda a crescer até que possamos nos libertar das amarras que nos faz despertar para o amor dentro do peito.

Esse devorador de desejos é alimentando por tudo aquilo que ansiamos conquistar a partir de outras pessoas que não nós mesmos. Ao criar estas ilusões sobre o mundo, mantemos ao nosso redor uma grande horta de emoções e sentimentos. As emoções vem do intimo do conhecimento, e quanto mais as conhecemos mais nos identificaremos com cada uma delas, e iremos perceber que não existe uma só que não venha acompanhada de lembranças e desejos sobre as pessoas que desde nosso nascimento estiveram caminhando juntas, a passos largos. Já os sentimentos vem do intimo do aprender, do saber sobre as coisas da vida. Cada toque, cada respiração, os cheiros e sabores se misturam nos elementos, e então você sente, lá no fundo no seu ser, você sente que está vivo, mas não percebe, porque procura entender e não sentir, procura uma explicação para tudo, ao invés de agradecer por tudo simplesmente se manifestar dentro de ti. Transforme sentimento em sentir, em sensibilidade, essa sensibilidade vem do ser em Ser.

Não existe um só cheiro, um sabor, um toque que não venha de dentro de ti, porque você ajuda a criar tudo ao seu redor, e sua energia interpreta tudo isso como algo separado de ti, como algo que está longe... mas não, está dentro, dentro de ti, e sem você dentro do corpo desperto para a realidade deste mundo, todas as experiências e aprendizados não seriam possíveis para que se torne a essência do amor.

O Amor está dentro, no mais intimo do Ser, não pode ser explicado, nem conquistado esperando que alguém estenda um tapete de conhecimentos. Até que todos realmente possam dar as mãos sem tocar na vaidade dos julgamentos, não espere que lhe dêem migalhas de algo que és teu por direito de nascença, o Amor que vem do mais alto e Sublime horizonte de Luz, que está em tudo e todas as coisas, um amor que não coloca obstáculos nem espera mais que um simples olá para invadir seu peito e lhe colher para Si como algo que és e sempre será em espírito, um grande coração de luz.

Não espere conquistar a vida ou a morte a partir de outras pessoas, nem deposite suas moedas sagradas em potes ainda tão cheios de desejos, pois estas moedas serão tragadas vorazmente pelo EGO tão insatisfeito.

Deposite dentro do coração aqueles alimentos que não podem encher esse tão afamado EGO, mas que irão preencher seu intimo com a mais tênue e perfeita luz, o Amor, a Paz e a Harmonia do Espírito.

Quando verificar dentro de si a mesma Paz destas arvores que pacientemente crescem para os céus sem esperar nada dos outros, que não se importam se dezenas de insetos e animais usam seu corpo como casa, ou comem dos seus frutos sem ao menos agradecer a dádiva da vida, e ainda sim mantém firme na terra suas raízes espalhando suas sementes de sabedoria ao vento, então verá que nunca ninguém lhe feriu ou profanou seu coração, senão a ti mesmo, por esperar demais de quem espera de você o mesmo.

Ao dizer estas palavras, o então senhor de barbas brancas senta-se sob a copa de uma grande árvore, agradecendo por ver a si mesmo refletido no espelho da natureza divina.

Que haja amor em todos os corações, e que todos possamos nos alimentar do mais doce néctar da compaixão que anima nosso Ser em gratidão, pela dádiva de aprender todos os dias sobre o Sagrado Amor em todos os seres e todas as coisas.

Que possamos nos olhar sem medo e receio do que estarão esperando, dizer aquilo que está dentro do nosso coração, mesmo sabendo que estas palavras possam não satisfazer as expectativas de outras pessoas, mas que sejam palavras verdadeiras, e que estas pessoas não alimentem seus potes internos com os desejos que criam tanta negatividade para o mundo.

Olhemos dentro de nós sem medo do que iremos encontrar, e que possamos também olhar as pessoas sem medo do que esperar a nosso respeito. Nossa evolução depende do que temos em comum e também do que temos incomum, porque são a partir das diferenças que encontramos meios para nos aperfeiçoarmos na arte do viver, e que este viver possa sempre nos compadecer não sob a tristeza, mas sim sobre a compaixão e a caridade necessária para que primeiro mudemos nosso intimo, e a partir desse momento sejamos um exemplo, para que ao invés da expectativa, nossa própria essência ajude a quem busca uma forma de melhorar no caminhar a ver nosso amor refletido em seus corações.

O Amor nos chama a cada fração de segundo para amar.

Paz e Luz!
Terry

Comments