Canção para a cura


Aquele dia passou sem ao menos perceber;

Quando seus olhos despertos abriram,

vislumbre tenue de outrora,

lapsos de memoria de longinquas terras,

planos aqueles despercebidos quando na ilusão passada e futura.


Claro como cristal puro;

Seu corpo reflete todas as cores,

nenhuma ousa misturar outra,

ambas se fundem em amor cósmico,

florindo nas dez mil direções,

indo além de qualquer direção,

atravessam as pontes tenues da mente superior,

encontrando-se serena na vastidão do vazio.


Todos os sons aos poucos vibram compaixão;

O toque do Buddha faz brilhar o coração,

seja como Arjuna ou semeador de corações,

o verdadeiro Mestre não tem nome para o amor,

Ele ama como parte dEle,

em um só feixe sem eira nem beira,

atravessa poemas e poesias,

calmamente entrando em cada coração,

canta Hare Krishna e Om Mani Padme Hum,

faz parte da linha direita e também da esquerda,

conhece os campos da selva e os ritos xâmanicos,

já viveu muito além de qualquer recordação,

sabe do passado assim como do futuro,

compreende no agora a verdade dos tempos,

escreve em pedras e psicografa os ditos dos Espíritos,

seja na Terra, no céu, em outros planos e planetas,

não existe nada mais ou menos que amor.


Pela luz, na luz existe todas as cores e todos os sons;

Aquele que não tem pensamentos contra outros,

é a favor do cantar dos corações,

sabe que julgar hábitos não muda hábitos,

senta-se ao teu lado e conversa como irmão,

um amigo de tantas jornadas,

nessa breve temporada,

reza contigo baixinho a noite,

estremece terras e cai como lágrimas ou ver teu sorriso,

ama pedras, plantas e conversa com todos os seres,

não trata diferente o animal enfermo ou o velho sadio,

sabe que a centelha brilha de igual maneira em cada Ser,

por isso invoca todo o amor de Deus para iluminar a escuridão.


A luz cristalina, a chama de todos os tempos;

O calor frio nas labaredas incandescentes,

o vibrar dos sinos e o toque da flauta,

nos jarros a agua é purificada,

junto ao toque da tigelas cintilantes,

mandalas de flores e sagrados desenhos,

fluem além do tempo e espaço,

nessas linhas desenhadas em forma de poesia,

o brilho do amor atravessa qualquer ilusão,

acopla luz de amor,

pela espada dos Santos de Luz,

corta todas as amarras que prendem tua real natureza,

calma e serenidade coexistem,

a paz estabiliza na mente,

o despertar acontece sem motivo ou palavras,

o coração se abre,

unifica-se com o Todo,

tudo é compreendido,

a dualidade unifica-se em um só,

Amor...

 
Namastê,

Terry
Comments