Carpa nadando

Certo dia um pequeno garoto para as margens de um riacho, em meio a uma grande mata repleta de flores onde morava em outros tempos, sentou-se sozinho, pensando na vida, nos seus afazeres do dia a dia na fazenda, os estudos, praticas... mas ainda sim sentia-se muito solitário. Em meio as águas do riacho, viu então uma carpa nadando calmante, quase saindo das águas calmas, e pensou:

-O que se passa com essa carpa, parece quase morta parada assim...

Passou alguns minutos olhando a pequena carpa, quase morta, mexendo apenas com suavidade as nadadeiras e a boca... Então sem motivo algum, a carpa pulou para fora da água em direção ao menino, e disse:

-Carpa: Jovem, você esta parado a beira do riacho me olhando a algum tempo, mas eu já o venho absorvando a varios dias, você vem até o riacho, fica sentado na pedra parado, parece quase morto as vezes.

-Menino: Estou um pouco assustado! Como você, uma carpa, pode falar e eu entender?

-Carpa: Eu lhe pergunto o mesmo, como você pode falar e eu entender?

-Menino: Eu sou humano, sempre falei!

-Carpa: Eu sou uma carpa, também sempre falei... a diferença entre você e eu, é que eu te escuto mesmo em silencio, mas poucos param para me ouvir no silencio. Só  agora quando pulei em sua direção, quando aqui você sozinho em pensamentos parou de pensar e passou a abservar, conseguiu me ouvir.

Muitas são as pessoas que passam por aqui todos os dias, caminhando com seus afazeres, indo e vindo, e até as vezes pescando carpas para seu consumo, mesmo assim não nos queixamos, ficamos dentro do riacho esperando, vivendo, indo e vindo no caminho, esse é nosso viver, essa é nossa jornada nessa vida, caminhar pelas aguas do riacho, escutar o silencio do vento, respirar o ar agua da agua, servir de alimento aos que precisam de alimento, ainda sim não nos queixamos.

-Menino: Nossa, é mesmo, realmente nunca parei para pensar dessa forma, sento-me aqui e procuro no silencio o motivo da solidão, mas não paro para ouvir o que me cerca, crio motivos para estar no silencio, mas na verdade todo som está dentro e fora da agua, do vento, do fogo, do ar,... de todas as formas e não formas, como pensamento, objeto, objetivo e além...

-Carpa: Sim, todas as coisas falam de certa forma, mas são poucos que tem silencio interior para ouvir além do que está acostumado a ouvir, são poucos que silenciam os pensamentos para poder realmente pensar, ser o pensador e não somente os pensamentos. Quando estou aqui na agua parada, a agua continua a passar por mim, eu continuo a respirar e ouvir o que se passa dentro da agua, vejo o reflexo do sol e das arvores nas margens e no espelho que se forma sobre mim, e as vezes, somente de tempos em tempos, pulo para fora e converso com aqueles que aprendem a ouvir no caminho... Já nadei muito rio acima e rio abaixo, passei por vilarejos e cidades, vi muita
sujeira jogada dentro dos rios, e nesses lugares sujos são poucos que ao menos aprenderam a ouvir uns os outros, quem dirá ouvir a uma carpa insignificante como eu, parada aqui, dentro do riacho... mas também vi lugares bonitos, com aguas claras e calmas como aqui, onde encontro bastante ar para respirar, e agora você, sentando ai na pedra me olhando pasmo...rs

-Menino: Já não estou tão assustado, agora que lhe ouvi compreendi a essencia do ouvir, entendo agora que nunca estive sozinho nem solitário, sempre estive repleto de sons e cores... Sim, as arvores, agora escuto suas vozes! as pedras, sim!, também as estou escutando agora... e aquela aguia lá no ceu, também a estou ouvindo... sim, agora compreendo que nunca estive sozinho, só não sabia ouvir com clareza mental, com clareza de espirito e coração.

-Carpa: Agora aprendeu a ouvir, então compreenda que todas as formas de vida tem essencia divina, todas as coisas são vivas e estão prontas para falar e ouvir, estão prontas para viver em harmonia entre elas, cada uma na sua jornada, no seu caminho. Quando todos aprenderem que são anjos em corpos humanos e pararem para ouvir, irão descobrir que temos muito a dizer e ensinar, assim como aprender. Peço com carinho que divulgue essa mensagem,muitos irão duvidar de ti no inicio, mas se apenas alguns pararem para ouvir
de vez em quando, ou mesmo que não ouçam mas conversem conosco, irão perceber que seus ouvidos mais sutis irão escutar, então suas vidas irão se modificar, porque nessa terra, Gaya está a reger uma orquestra muito grande, e a cada dia essa orquestra está mais afinada, mas precisamos ainda de muita pratica para que possamos todos nos, todos os seres daqui e de lá, falarmos a mesma lingua...

Agora preciso ir, seguir o fluxo das aguas no ar... agradeço pela excelente conversa!

-Menino: Sim minha amiga, agora compreendo sua mensagem...

Nesse momento a carpa se foi, mas não como carpa, transformou-se em um grande passaro azul com cabeça dourada, voando muito alto, até desaparecer em uma nuvem branca... nessa nuvem surgiu o rosto de um grande sabio,sorrindo para o garoto...

Aprendam a ouvir, todos tem algo a dizer, mas nem sempre escutamos... quando paramos para nos entreter dentro da nossa propria introspecção, e paramos de nos queixar deixando os pensamentos fluirem, ouvindo o coração pela essencia da energia, então tudo terá um som, uma cor, uma única e irretocavel luz divina, e a solidão acaba... no deixar ir dos pensamentos, não sendo o pensamento nem retendo os desejos do pensamento, escutando o coração e a respiração, sorrindo para dentro e transbordando para fora o amor, somos os proprios anjos sorrindo nas celulas do TAO.

A natureza é perfeita, só não a ouvimos como deveriamos ainda... tudo, aqui ou outros planetas, dimensões, uni-versos, multi-versos, tudo em apenas um verbo, OM!

Fiquem na paz de Deus!

Namastê,

Terry
Comments