Caverna escondida...

Certo dia um homem caminhada solitário por uma montanha, até que sem perceber se depara com uma grande caverna.

Curioso para ver no que tinha dentro daquela enorme estrutura de pedras, logo procura uma entrada que pudesse passar. Não achando meios, resolve subir a montanha e descer por uma entrada bem acima da mesma, tão alta que mal se podia ver o fundo.

Enquanto descia, começou a ouvir alguns sons estranhos, como se fossem vozes. Um tanto assustado com aquilo, ainda sim resolveu continuar e descobrir o que ali havia. Quando já no chão, percebe que ali existiam muitas plantas, um pequeno lago e para sua surpresa, alguns desenhos nas pedras ao redor.

Ainda mais assustado, mas achando que se tratava de desenhos antigos, resolve investigar esse lugar tão belo e tão misterioso, porque sua dimensão era muito grande, comparado quase a um pequenino mundo.

Andando por este lugar, começa a perceber que existem aves e outros pequenos animais, um tanto diferentes do que conhecia, talvez devido à baixa luminosidade. Caminhando, começa novamente a ouvir vozes, como se fossem palavras.

Sem saber de onde veio, tomou uma paulada na cabeça, desmaiando em seguida.

Ao acordar, se depara com homens, mulheres e crianças ao seu redor, rústicos, como se fossem da época das cavernas. Muito assustado com aquilo tudo, ele logo se levanta e tanta entender o que está acontecendo.

Não entendia o que eles falavam, e apesar da aparência rústica, eram pacíficos e não apresentavam maiores perigos. Nesse momento aparece um homem já muito velho, com rugas na face e um cajado nas mãos. Este homem chega próximo ao homem, e para sua surpresa começa a falar com ele no seu idioma, mesmo que um tanto limitado, consegue compreender o que lhe é dito.

Este velho homem, o ancião, o sábio do local, começa a explicar a ele que eles são um povo esquecido, que durante muito tempo foram trancados naquela caverna imensa quando um grande terremoto ocorrera naquela região. O povo que restou não conseguiu mais sair dali, já que não existiam recursos, e as gerações seguintes aos poucos já não tinham mais conhecimento do que existia fora da caverna.

O velho ancião ainda falou que eles mantinham o conhecimento em sua cultura de um mundo vasto, com um grande sol e muitas planícies, e um grande mar repleto de água salgada. Esses foram os mitos e lendas criadas por esse povo, onde o velho ancião preservou a linguagem ancestral que foi ensinada de geração em geração, mas que foi quase perdida, sendo a mesma língua que o homem compreendia. Disse ainda que os jovens não tinham mais o conhecimento sobre sua cultura, e já haviam se acostumado de tal maneira a caverna, que não procuraram meios de sair dali.

Foi então que ele resolveu levantar do chão, e ensinar ao povo, com permissão do ancião, sobre o mundo lá fora. Ele contou com detalhes sobre o mar, as matas, as cidades, as pessoas e a cultura que estava lá fora. Falou sobre espiritualidade, sobre Deus, sobre a natureza tão perfeita que existia atrás daquelas pedras.

Enquanto ele ia falando, muitos não acreditavam, achavam que estava louco, rindo e satirizando tudo o que dizia, mesmo percebendo suas roupas e sua aparência tão diferente do que estavam acostumados.

Outros já olhavam para ele com certa admiração, fazendo muitas perguntas através do ancião que pausadamente ia traduzindo o que lhe era questionado.

Após alguns dias de conversa, algumas pessoas resolveram se unir a este homem e procurar um meio de sair dali. Ouve muita discussão, brigas e o medo tomaram conta da comunidade, mas devido às palavras do ancião que confirmava tudo o que o homem explicara com respeito, as coisas foram se acalmando e parte dos novos exploradores resolveu definitivamente saber o que exista além daquelas paredes de pedras.

Depois de alguns dias caminhando e tentando achar meios de escalar as verticais paredes, acharam uma pequena abertura próxima a um pequeno lago de onde nascia uma cachoeira, e era dali que retiravam toda a água que usavam para beber. Perceberam que bem próximo de onde a água brotava naquelas pedras, existia uma abertura com um ponto e luz ao fundo. Um dos homens que o acompanhava, disse que ali era o local sagrado onde nascia luz na pedra, mas que ninguém sabia o porquê essa luz estava ali parte do dia, e como desaparecia a noite. Eles sabiam que algo acima da caverna trazia luz também, mas devido a altura e pouca luminosidade, não tinham conhecimento do sol.

Foi então que o homem decidiu, com autorização do ancião, quebrar todas aquelas pedras nessa pequena abertura, mesmo com o protesto daqueles que defendiam que ali era um local sagrado que não deveria ser violado.

Quando começou a quebrar, logo viu que a luz aos poucos ia aumentando, sabia que ali seria sua saída da caverna. As pessoas surpresas com aquilo, começam a ajudar o homem, até que a última rocha se desfez e viram a sua frente um horizonte sem fim.

Todos surpresos começam a chorar, quase chocados e com certo receio do que estavam vendo, não podiam acreditar naquilo.

O velho ancião que ouvia estas histórias de um mundo além daquelas paredes, contado de geração em geração, orava e chorava de alegria. As crianças corriam, ainda ofuscadas por tanta luz devido a sensibilidade dos seus olhos, já que viveram tanto tempo no escuro.

Essa pequena historia nos mostra o como podemos estar limitados pelo medo de sair da nossa caverna, retirar os preconceitos e investigar o que existe além da matéria física. O mundo espiritual é um campo infinito de sabedoria e luz, só precisamos aceitar e procurar estudar e praticar os ensinamentos que nos foram trazidos de presente pelos grandes Mestres de Luz.

Não temos somente esse planeta, essa galáxia ou universo, tudo em Deus é infinito, e tudo feito com o mesmo Amor que existe dentro do teu peito. Somos um microcosmos do macrocosmo, somos uma centelha, uma fagulha divina de luz. Mesmo com todas nossas obrigações diárias com o mundo ao redor, podemos procurar investigar em nosso intimo como desfazer esses véus da ilusão que nos separam do amor absoluto de Deus.

Esse Amor nunca nos deixou, nem por um só momento, Ele está dentro de nós e em todas as coisas, só precisamos O aceitar verdadeiramente.

Possamos todos despertar para a Paz e a Luz desse Amor Divino.

*Nesta pequeno história, podemos colocar de forma hermética que essa pessoas na caverna são a humanidade que ficou nas trevas presa ao medo da luz, se explorar o desconhecido além do que está a sua vista. A caverna podemos interpretar como o mundo que criamos ao nosso redor e não atrevemos a mudar sem ajuda do alto. O homem que desde, pode ser considerado o Anjo da Guarda, Mestre ou Mentor de Luz que vem nos resgatar e ajudar a sair desse abismo interno. A fonte de água que nasce da pedra são os ensinamentos e a luz que dali também sai, é o caminho que precisamos percorrer para atravessar as muralhas do EGO e do medo.



Paz e Luz!
Terry
Comments