Jack e a Luz Dourada


Era uma vez um homem chamado o Jack.
Jack era um homem maravilhoso com uma luz dourada surpreendente dentro dele.
Ele não podia ver essa luz dourada nem sabia que ela que estava dentro dele, mas ele sabia que ela existia porque ele podia senti-la chamando por ele.
Ele sabia que ela continha todos os segredos que ele precisava saber sobre quem ele realmente era, e por que ele realmente estava aqui.
Ela continha a chave que destrancaria a porta para tudo aquilo que o coração dele desejava, e tudo aquilo com o que a alma dele sonhava.
Ele sabia que havia mais vida do que a realidade que ele via ao seu redor.
Ele sentia que havia outro modo de viver, e ele estava determinado a encontrar este modo novo.

Jack sabia que a luz dourada o ajudaria, assim ele se pôs a caminho para procurá-la.
Ele se deparou com muitos monstros assustadores e florestas escuras, mas ainda assim ele continuou.
Ele cruzou com muitas pessoas maravilhosas que falavam sobre esta luz dourada, então isso só o fez querer encontrá-la ainda mais.

Quanto mais perto de encontrar sua luz, mais intensamente ele sentia seus sonhos mais altos e seus medos mais profundos.
Seu maior medo era que seus sonhos surpreendentes não acontecessem, pois eram ilusão, ou que partiriam assim que ele os recebesse.
Suas preocupações o fizeram duvidar do que seu coração sabia.
E se fosse tudo uma ilusão?
E se a Luz dourada não existir?
E se os sonhos não se tornarem realidade?
Ele se questionou: “E se estou procurando pelo nada? Todos na minha cidade dizem que eu deveria simplesmente arrumar um emprego normal e que almas gêmeas que vivem felizes para sempre só existem em contos de fadas. E se eles tiverem razão?”

Jack estava muito confuso e cansado.
Ele tinha se deparado com mais uma colina, e simplesmente não sabia se teria força para escalá-la somente para se desapontar novamente.
Ele se sentou no sopé com sua cabeça nas mãos.
O que fazer?
Ao sentar ali ele viu uma grande sombra descer na sua frente encobrindo a colina.
Esta sombra era o Medo.
Ela continha todos os obstáculos do caminho de subida até o topo da colina e a visão de uma vez por todas do que havia do outro lado.
Ela continha os fragmentos dele que não confiavam no seu próprio saber interior inato.
Ela continha os fragmentos dele que haviam seguido o coração antes e se machucado.
Ela continha todas as crenças que diziam: “Você realmente não merece isto. O que dirão as pessoas? O que elas pensarão? E se eu estiver cometendo um erro??”
Ela continha muita culpa e autojulgamento.

Jack olhou para o Grande Medo e soube que tinha chegado a uma encruzilhada.
Uma parte dele sentia que seria muito mais fácil simplesmente dar a volta e se esquecer da aventura que o chamava do outro lado da colina.
Mas ele sentiu que havia um sussurro dentro de si.
E se suas visões fossem reais?
E se seus sentimentos fossem verdadeiros?
E se seu coração estivesse certo e estava tentando lhe apontar a direção?
E se ele estivesse a poucos passos de seu destino?
Ele olhou mais uma vez para o topo da colina.
E se seus sentimentos estivessem errados e não fosse o que ele pensava que seria?
Sua mente estava ativa como sempre.
E o coração, o coração de luz, sussurrava: “Mas e se você tiver razão? E se for tudo o que você sempre imaginou??”

Naquele momento, a grande sombra que era o Medo falou com ele.
O Medo disse estas palavras: “Se você quer o que deseja, você tem que passar por mim. Você não pode se livrar de mim. Você somente pode me atravessar.”

Jack estava com medo.
Ele disse para o Medo: “Como posso atravessar você? Você é tão grande, e está tão escuro lá. E se eu me perder e nunca descobrir a saída? Então eu não estaria nem aqui e nem lá!! Acho que você é um sinal de que eu simplesmente deveria ficar aqui mesmo!”

O Medo riu.
Ele conhece o caminho através dele, mas ele nunca falaria para Jack.
Ele gosta demais do poder que ele tem sobre as pessoas.

Felizmente, naquele momento o grande Sol surgiu.
Ele trazia a energia da Luz e achava que era a hora de Jack receber uma mensagem que ele precisava ouvir.
Ele disse a Jack: “O meio de passar pelo medo é usando sua luz.”
Jack riu: “Sim, eu sei, o único problema é que estou tendo dificuldade para achá-la.”
E o Sol também riu e disse: “Ah, Jack, olhe dentro de você. A luz está dentro de você. Ela é como uma tocha e brilha tão forte. Ela está poderosa agora, você só tem que percebê-la.”
Jack olhou para dentro de si e com toda certeza lá estava uma grande luz radiante!!
“Como eu não a vi antes?”

O Grande Sol tinha umas poucas palavras de sabedoria.
Ele disse, “O meio de passar pelo medo é saber que a luz dentro de você guiará seu caminho. Você não tem que ver todo o caminho à sua frente. A luz é forte o suficiente para você poder ver um ou dois passos à sua frente. E essa é toda a luz de que você precisa. Dê um passo por vez, e a luz continuará guiando até que você tenha atravessado totalmente o medo, e então você se encontrará no topo da colina e verá as coisas maravilhosas que se tem para ver.”

Então, Jack tinha uma escolha.
Embarcar nesta grande jornada através do medo, sabendo que tinha sua fiel luz dentro de si que nunca poderia ser obscurecida, jamais apagada, e sabendo que a jornada através do medo não seria nada longa.

Assim que o Medo fica sabendo que você o está atravessando, ele afrouxa o desafio e a sombra começa a se dissipar.
O Medo então irá embora procurando por outra pessoa para cobrir com sua sombra.
O Medo apenas é tão grande quanto o poder que nós damos a ele.

Jack também tinha uma escolha de não atravessar o Medo.
Mas ele não viera aqui para a Terra para deixar o medo levar a melhor.

Então ele evocou todos os seus ancestrais e guias e pediu: “Por favor, estejam comigo enquanto eu atravesso o medo.”

Pois o medo é algo que você tem que atravessar por conta própria, e você não tem que estar totalmente sozinho.
E você não está sozinho.

Ele deu início à jornada, e teve de admitir que ainda estava um pouco assustado.
Mas algo mais começou a se agitar dentro dele. Excitação. Adrenalina.
A energia dentro dele, que era um guerreiro espiritual, começou a se ativar.
A cada passo dado ele acreditava cada vez mais em si mesmo.
“Eu consigo,” ele pensou. “Eu consigo!!”
Como ele começou a andar mais rapidamente, o Medo não ficou feliz e começou a escarnecê-lo cada vez mais, dizendo como ele era tolo e como ele estava errado, dizendo que não havia nada mais do que dificuldade esperando por ele assim que subisse aquela colina.
Mas Jack não estava mais nas garras do medo.
Sua luz interior estava ardendo brilhantemente agora, estava fazendo-o subir a colina mais e mais rapidamente.
Seus guias e ancestrais estavam com ele em todos os passos do caminho, encorajando-o: “Você consegue, você consegue!”

Ao correr mais rapidamente, uma coisa estranha aconteceu: asas começaram a brotar em seus ombros!!
Agora ele estava correndo tão rápido que seus pés quase não tocavam o chão!
Então, de repente, wooshka, ele estava voando!!
Ele não podia acreditar!!
Ele estava planando no ar como um pássaro!!
Ele se sentia tão livre, tão alegre, tão liberado.
Era o sentimento mais maravilhoso do mundo!

O Medo foi deixado para trás, e com os braços cruzados: “Grrr outro que escapou.”
Mas secretamente o Medo sorria e estava feliz por Jack.

Não muitas pessoas sabem disto sobre o Medo, mas ele, na verdade, existe para forçar as pessoas a atingir seu potencial máximo.
A cada liberação, a cada par de asas que brota o Medo se dá um tapinha nas costas: “Sim, eu fiz isso”, ele fala para si mesmo.
O Sol sempre arregala seus olhos.
Todos sabem como é grande o Ego do Medo.
Mas elas o favorecem.
Pois onde nós estaríamos sem ele?
Como alguém poderia conhecer a extensão de sua coragem, a sua força, a sua fé, a sua confiança e crença em si mesmo, se não fosse pelo Medo bloqueando o seu caminho e o forçando então a se interiorizar e encontrar sua Luz?

Enquanto Jack planava pelos céus, ele olhou para baixo e pensou: “Bem, aqui vai, agora é a hora de descobrir no que deu.”
Ele olhou para baixo e seu coração pulou de alegria e suspirou de alívio.
Havia um reino surpreendente!
Ele continha seu sonho de lar aconchegante, ferramentas em abundância para criar tudo que ele queria, muitas almas da mesma família com mente semelhante já ocupadas com a criação de sua parte nesta nova realidade surpreendente.
E lá no centro do prado estava uma bela princesa esperando por ele, acenando com seus braços, dizendo: “Vai, vai, desce, há muito o que fazer!”
Ele deu mais algumas voltas no céu, planando, antes de descer rapidamente até ela.

“Como você chegou aqui?” perguntou ele. “Como sabia que ia me conhecer aqui?”
A princesa sorriu e disse: “Eu tenho o que você sempre teve - a luz interior que me disse qual caminho seguir.”

Jack e sua amada princesa passavam seus dias tendo muita diversão e aventuras.
Eles viajavam para muitas terras.
Eles compartilhavam sua história com muitas pessoas.
Eles diziam para todos: “Tal como nós temos uma luz, vocês também têm uma. Olhem para dentro de si, ela está aí, e ela os guiará.”
Tudo estava bem no mundo deles, e eles viveram felizes desde então.



(c) Dana Mrkich 2011. É dada permissão para compartilhar este artigo gratuitamente com a condição de que o autor seja creditado, e a URL www.danamrkich.com seja incluída.
Comments