Lados opostos

As vezes nos movemos para o lado direito,

deslizando o pé direito,

enfrentamos todo o lado esquerdo.

 

Outras vezes nos movemos para o lado esquerdo,

deslizando o pé esquerdo,

enfrentamos todo o lado direito.

 

O movimento é continuo e centrado,

ainda sim a mente procura posição para o corpo,

quando damos uma passo para frente,

enfrentamos todos os passos de trás,

quando andamos para trás,

deixamos todos os passos a frente.

 

Centrado no eixo,

encontramos o espaço vazio,

sem direita ou esquerda,

frente ou trás,

fechamos os olhos e olhamos para dentro,

mesmo que ainda nos movendo.

 

No completo escuro dos olhos,

milhões de pontos vibrantes cintilam,

percebemos sem pensamento ou ação,

nunca houve escuridão,

não havia quietude suficiente para observar,

perceber a imensidão do não pensamento.

 

Quando totalmente limpo de procurar um lado,

todos os caminhos são reflexos da mente pura,

não existem marcas no chão feitas pelos pés,

não existe sombra de um só corpo.

 

A luz acende e semeia a terra pura,

onde antes existiam pegadas deixadas para trás,

hoje existe apenas um fino rio de luz,

a gravidade não afeta o ser,

assim como o ser não afeta nada no TAO,

existe plenitude e cumplicidade,

tanto na ação como na não ação,

o ser permanece centrado em si mesmo,

yin e yang retornam ao vazio,

completo Tu És.

 

 

Namastê,
Terry

Comments