Manto da visão...

As vezes eu vejo as coisas diferente,
andando ou sentado,
em casa ou no meio da multidão.

As vezes eu olho com os olhos do coração,
e todos os seres,
todas as coisas,
vivas ou não,
pulsam na vibração divina.

As vezes eu olho com o olho que tudo vê,
e o mundo todo,
todo o universo ou multiverso,
todas as coisas,
dimensões dentro e fora,
tornam-se reais,
a ilusão desaparece,
a luz se faz.

As vezes eu apenas vejo dentro das pessoas,
sinto o que se esconde no coração,
sinto a presença dos desejos e emoções,
seus sentimentos transbordam na sua alma,
e muitas vezes dói o que vejo,
dói dentro de mim o sentimentos dessas pessoas,
que pela jornada ainda estão cegas ao realidade do espírito,
tento as confortar com o manto do amor,
mas algumas ainda preferem o manto do desejo,
o manto cinza que recobre os olhos de quem não busca a verdade,
e acomoda-se aos pequenos prazeres da rotina.

As vezes eu vejo tudo e nada,
no grande vazio,
nesse espaço sem tempo,
medito dentro do coração,
buscando a chama divina,
adormecendo enquanto os cegos pelos desejos despertam,
acordando livre mais uma vez,
fluindo pelo amor cósmico de Deus...

Namastê,
Terry

Comments