O caminho da mente passada

Bom, para quem decidir ler, leia com o coração, pois sua mente pode ficar um tanto atordoada...rs Brincadeiras a parte, é apenas um verso reflexo de uma meditação acordada nestes dias...

Andando no meio da multidão,

apto a absorver e questionar o maior dos questionadores,

um tanto desgovernado perdido na imensidão de muitas mentes...,

muitas mentes mentem,

algumas sorrateiramente cambaleiam buscando um canto escuro,

outras descontentes flutuam sem rumo algum,

mas todas buscam a mesma luz no caminho para felicidade,

algumas perdidas, desconcertadas,

outras vívidas e sadias,

todas andam pelo caminho seguindo a luz até o oceano,

um repleto oceano de pra na amoroso.

Escuto pensamentos que não são meus,

por não questionar outro questionador,

duvido da própria sanidade de apenas um momento, um segundo,

a vida de ontem e amanhã assola essa multidão,

enquanto eu lá,

caminho com os lábios cerrados,

sem indagar nada mais que minha própria imensidão.

Durante algum tempo ali,

trabalhando em meio arvores de pé,

com suas raízes voltadas para o céu,

suas folhas esparramadas pelo chão,

as pessoas passam por mim,

converso com uma ou outra,

respondo sobre negócios,

afazeres da profissão e alguns sobre meditação,

aquilo tudo sai de mim pela intuição,

ainda sim vago pausadamente questionando sobre a mente ilusão,

um grande oceano repleto da mais complexa simplicidade,

que destroça o agora quando preso em outrora.

Sim, esse é o ponto de interrupção,

encontro um baú dentro do coração,

caverna profunda com lagos e oceanos,

calmo ando até um pequeno canto,

vejo uma tocha acessa,

esquecida lá talvez por engano,

viajando dentro de mim mesmo,

ainda andando na multidão,

sou eu lá dentro e aqui fora,

sim, complexa viagem dentro da mente coração.

Sinto meus pés saindo do chão,

ando com os pés firmes na ilusão,

quando desprendo do físico dentro da imensidão,

na caverna grande recordo sua dimensão,

lá longe vejo o baú,

o quão perto de torna-se, um passo de mágica,

abro e vejo múltiplos passados,

como um pão de forma cortado em fatias ovais,

cada uma leva parte do que fui,

em varias partes e realidades,

universos e multiversos em apenas um omniverso,

alguns pode dizer que seria akasha,

outros ainda um sonho acordado,

mas estou lá,

vendo tudo que fui e sou,

dentro de mim mesmo.

Atordoado uns instantes,

feliz e chorando por dentro,

quando recordo tudo que ficou,

os quantos já fui e tudo que fiz,

crio ainda um pensamento do que é  isso,

porque isso e aquilo,

lá no meio da multidão,

tudo girou em apenas alguns poucos segundos,

suficientes para indagar e secar a mais salivante boca,

da questão  do porque, porque não posso recordar e saber fomos antes ou
depois?

Sim, resposta rápida como um raio,

se em apenas um lapso de tempo de uma vida comum,

com seus cinqüenta ou cem anos,

um ser humano já consegue se lamentar e chorar pelo que fez,

o quanto as pessoas iriam chorar e até mesmo enlouquecer,

se descobrissem que em outra vida mataram seu melhor amigo,

roubaram um doce do amigo,

perderam pais em acidentes ou coisa parecida...

Não pretendo citar tudo que uma pessoa pode fazer em alguns anos,

basta você fechar os olhos e refletir sobre sua vida agora,

você está pronto para saber e sentir tudo que fez outrora?

Não esqueça que irá sentir tudo isso, saborear tudo isso, assim com o doce que comeu a pouco,ou a bebida que recorda o sabor, a dor do parto e da morte...

Você que é uma pessoa sadia, ao lembra-se de um doce sente o gosto na boca e saliva,gostaria de ter a mesma sensação ocre de lembrar uma ferida, ou sentir uma fecha atingindo sua perna?

Gostaria de ter a sensação de ser uma jovem que foi assassinada em prol de "divindades" em séculos anteriores?

Enfim, a conclusão que o questionador chegou ao questionar o passado é que a vida foi feita e sempre será para ser vivida agora, não importa o quanto um trauma poderia ter-lhe afetado em outras vidas, viva seu agora de maneira sadia e da melhor forma que conseguir, quando  chegar a hora irá acessar esse leque que é seu, está lá e ninguém poderá tira-lo de ti, quando chegar a hora certa vai recordar tudo mas a diferença é que estará pronto e não vai se apegar ao drama pessoal, pois terá feito seu melhor hoje e sabe que o amanhã será apenas conseqüência, suas ações ou reações representadas no palco divino serão apenas parte dos papeis que representou, sua consciência
será cristica, onipresente e completamente livre de amarras e apegos, o apego a qualquer coisa.

Sim, andei entre essas pessoas e voei pela caverna, recordei que no amor, sim, esse amor que se sente por Deus, pelos Mestres, pelas pessoas que amamos e temos oportunidade de dividir esse curto espaço de tempo hoje, esse presente que é encarnar em um corpo nesse lindo planeta, vivenciar as coisas por aqui durante um tempo e saber sim, que fizemos o melhor porque não podemos deixar de ser o que nos, imortais!

Saibam meus amigos, irmãos, seres de luz que vivem por aqui ou por lá, ou em ambas as partes, que sejam nós aqui, os outros ali, essa brisa ou uma folha, tudo é feito pela mesma energia divina que cria e destrói, mas sempre, sempre ama, e amor, háaa amor, é sempre amor!

Você já pode ter sido pai de seu avó, filho do seu filho, mulher de um amigo, irmão da sua esposa, um ser de Arcturos, Siriano ou Pleydiano... pode ter vivido na época de Krishna, Buddha ou ainda na época de Hermes... pode ter sido um assassino, um Grey, um ser astral, causal... pode ter sido o Mestre que lhe ensinou sobre a ilusão, ou ainda o discípulo de Babaji... tudo são partes de uma grande criação, e tudo é parte do único criador, então presenteie a si mesmo com a vida simples e natural, já que tudo que existiu e ainda vai existir coexistem acima do tempo e espaço, coexistem em um mesmo átomo e mente divinos, como disse o Grande Mestre, "todo o universo
está em um grão de mostarda..."

Quando o total desapego pelos prazeres do corpo é preenchido pelo amor divino, não importa por quais caminhos já percorremos ou por quais ainda iremos percorrer, quando a mente está totalmente voltada para dentro do coração e o coração unificado com a mente acima da ilusão, desprender é livrar-se do medo e angustia, não é ignorar os afazeres do dia a dia mas fazê-los de maneira que a simplicidade supere o contraditório, deixar o passado viver seu lugar no plano divino, o futuro continuar a ser criado pelo seus afazeres e pensamentos do dia a dia.

Já pensou em quanto tempo vive pensando no que fez ontem, sentindo o gosto de um doce ou uma bebida, recordando o que aprendeu com amigos e professores? E olha que isso tudo é apenas um fragmento do que és, porque acima da "memória do plano físico", existe um cristal repleto de conhecimento, uma biblioteca divina com tudo que vivenciamos e aprendemos, com todas as chaves para todas as portas e livros de todos os tempos, universos, cosmo... e esta lá para ser acessada, porém existe uma senha para a porta principal, o leitor desta porta não pode ser iludido ou invadido, mede sua freqüência vibratória e esta freqüência de acesso é a amor, o amor é a chave mestra para o conhecimento supremo.

Viva com amor e tudo aquilo que existe não fará tanta diferença ou será mais doce que o doce néctar do amor divino!

As preocupações do dia a dia virão, mas quando elas vierem, quando um problema lhe afligir a ponto de enlouquecer, saiba que irá passar, não tem jeito quanto a isso, tudo irá passar e apenas restará o que fez agora.

Abra as vezes o coração para a freqüência máxima, permita-se presentear seu corpo, mente, alma, espírito com a chave Mestra do Amor, seu corpo ficará mais leve, sua mente serena, seu espírito eleva-se acima de tudo e quando isso virar um habito vai perceber que esse habito de amar nunca na verdade deixou de ser SUA PROPRIA NATUREZA, POIS VOCÊ MEU AMIGO TAMBÉM É DEUS, IMORTAL E A SUA NATUREZA É AMOR! Fugir disso é viver em conflito com sua própria verdade.

Namastê,
Terry
Comments