Papel da bala

Certo dia um jovem andava despreocupado pelas ruas. Em dado momento pega uma bala, retira o papel, come a bala e como de costume, joga o papel no chão.

O papel sai voando pelo ar, sem rumo certo, e o jovem segue seu caminho...

O papel da bala cai em uma poça de água, a água o arrasta pelas ruas, indo parar nos esgotos. Dentro desse esgoto vai sendo arrastado sem resistir, até que finalmente chega a um riacho, descansando um pouco da longa viagem. 

Momentos depois, esse pequeno papel de bala é arrastado pelo vento forte, e novamente sai voando sem rumo certo.

Caindo na rua de uma casa qualquer, a "dona" que varre o chão logo o tira da calçada, e novamente lá esta ele, jogado na sarjeta, escorrendo com o esgoto sem rumo nenhum...

Alguns anos se passam nesse fluxo de vai e vem, até que finalmente o papel de bala após escorrer pelos rios e esgotos, cai em uma casa amarela, onde aquele jovem despreocupado que no inicio se desfez deste papel nem pensar, mora atualmente. Como já se passaram alguns anos, este mesmo jovem agora é um pai de
família, já formado e com suas responsabilidades estabelecidas.

O papel de bala cai na varanda de sua casa, e com uma brisa suave levanta vôo para dentro...

Lá,  sem querer, cai no ralo da pia da cozinha, sem perceber um dos filhos do agora então pai de família, abre a torneira e o papel escoa pelo ralo, porém dentro desse ralo existiam mais alguns restos jogados por ele, o papel fica preso no caminho não permitindo a passagem da água, o jovem agora homem chega em casa e vê muita água pelo chão, pergunta o que aconteceu e ninguém sabe bem como explicar.

Chamam o encanador e este não consegue ver onde existe entupimento, já que o papel parou quase no fim entre a casa e a rua, depois de muito procurar resolvem quebrar toda a rua, e finalmente encontram os restos e o papel de bala preso no cano, o homem indignado não admite que tenham jogado papel de bala na pia da
cozinha, pega o papel, e como se uma voz dentro da mente lhe falasse, recorda sobre o papel deformado pelo tempo, lembra de quando era jovem e jogou um papel semelhante, sem notar que este mesmo papel fora o que causou o entupimento...

O ciclo é este, quando mais você joga contra a natureza no agora, arca com os prejuízos no seu futuro, o negocio não é não se criar perspectivas para o futuro, traçar planos e
tal, mas sim utilizar com sabedoria seu momento no agora.

O mesmo papel, sacola plástica, lata... enfim, o mesmo lixo que você descuida hoje, pode ser o mesmo que irá entupir um ponto no seu futuro, ou pior, no futuro dos seus filhos e netos.

Vale pensar e refletir a respeito um pouco, sobre o que faz no agora, nesse exato e simples momento... olhe na sua mesa, na cozinha, sala... veja quanto "entulho" pode ser a gota de água no seu cano amanhã...

E vá um pouco além ainda, veja o quanto do seu passado e o quando de espaço desperdiça com coisas que nem utiliza, muito espaço se ganha o muita energia é liberada quando nos desapegamos dos "traços e destroços" que teimamos em deixar lá no fundo do guarda roupas... doe para quem precisa, venda se for o caso, mas não deixe um espaço se quer ocupado pelas energias que já não fazem mais parte do seu agora.

DESAPEGUE e PEGUE para si a verdadeira natureza!

Namastê,
Terry
Comments