Resíduos?

A folha nasce, cresce no galho, e cai.
O gafanhoto caminha sobre a folha e come do seu verde.
O pássaro faz seu ninho nos galhos e come o gafanhoto.
A abelha tece o fio de cera, colhe o pólen e faz o mel, forma hexagramas na colmeia.
A flor nasce do galho, o beija-flor toma seu néctar, e voa livre.
O leão tem sua juba, é forte, corre a caçar, abate e come sua presa no mesmo instante em que a hiena, o urubu e a mosca.
O peixe nada e respira, o nado dele é tão suave como o voo do pássaro.
O urso dorme na caverna com os morcegos e insetos.
O musgo e o cogumelo comem o passado das árvores, folhas e animais.
A pedra fica parada e depois rola.
A árvore queima com o raio furtivo, e logo é abrandada pela na chuva da noite.
O rio escorre dos vales e montanhas até o oceano.
O oceano escorre até os vales profundos da terra.
A terra escorre vagando pelos céus.
Não há o que contestar nas maravilhas da natureza.

O homem nasce, come a folha, o gafanhoto, o cervo e a vaca.
Corta a árvore e perfura a caverna.
Desvia os rios e incendeia o oceano.
Não tem asas mas procura voar, não respira sob a água mas procura mergulhar.
Joga seus resíduos na terra, água e ar.
O que é humanidade para a natureza?

Os ancestrais penetraram no caminho da energia e deram suas fórmulas para que tudo seja refinado ao natural.
O homem ignora suas fórmulas procurando criar ilusões.
O que há que natural em desprezar o caminho?

O tempo passa de forma diferente na mente e no corpo.
O feliz agora é triste logo depois.
O triste é feliz em algum momento?
Como pode ser feliz se está na ilusão?
A ilusão ilude, e por iludir o infeliz se torna feliz, no tempo.
Logo depois do tempo, sua pá vira e a energia pende na tristeza.
O que há de natural nisso?

Os grupos se juntam em sociedades.
As sociedades delimitam pedaços de terra.
Dão por direito nomear donos e devedores.
Para o urso, o leão e o pássaro, o que sobra?

O corpo humano tem trilhões de células.
Cada uma faz sua função sem nomear a que órgãos pertencem.
Se fosse possível uma se apoderar de um pedaço de terra logo o corpo adoeceria.
O que há de diferente entre as células de dentro e o humano sobre a terra?

O humano cria centenas de estátuas dos ancestrais.
Os ancestrais não precisam de estátuas dos humanos.
Quando o ancestral na bondade sem nome fala sobre o caminho, três em dez mil se colocam a meditar, dois a praticarem e apenas um a não-ação.

O que detém o céu e a terra? O que detém a humanidade? O que detém o ancestral? O que há para deter?

O vazio não cobra taxa do não vazio.
O não vazio não cobra taxa do vazio.
O pode se tornar tão pleno assim?


*Obs.: Pensava nisso agora a pouco após o almoço... o que seria a humanidade senão resíduo, talvez um resíduo divino, mas não mais que isso. Lembrando que a definição mais usual de resíduo é: material que sobra após uma ação ou processo produtivo. Talvez nesse caso eu trocaria produtivo por "evolutivo". :)

Quando a humanidade olhar para o céu e a terra com o devido amor do coração, quem sabe volte sua atenção aos ensinamentos dos ancestrais, e então a flor mais bela irá desabrochar em amor e gratidão.

E quando digo ancestrais, não são os vovôs e vovós de outrora, mas sim os Mestres Ancestrais que aqui deixaram seu saber em beneficio da verdadeira liberdade que não fere, mas sim liberta todos os seres do sofrimento.

Paz e Luz!

Terry



Comments