Solidão é amor

Quando observamos a solidão tão completamente, tão profundamente, tão plenamente, ela realmente sofre uma real transformação.
Já passei, a muitos anos atrás por esse real deserto. Mesmo estando em meio a sociedade, trabalhos, afazeres, meditações, práticas internas, sociais e culturais, quando já não sentimos que esse mundo faz sentido, e toda essa loucura desmedida a qual somos criados para competir ao longo da vida, chega um momento único onde vamos para um deserto interior. É nesse momento que recebemos dos céus a chance de nos conhecermos, de retirar todos os véus, máscaras e nuances do que aprendemos de certo e errado ao longo da vida, e compreender o vazio de forma plena, direta e perfeita.

Poucos realmente atravessam esse deserto, ou estão certo de vivencia-lo de forma plena. A maioria foge, entra em desespero, tristeza e sentimento de culpa, abandono. Mas aqueles que se atrevem, para esses existe um oásis pleno de inteligência e sabedoria, algo que não se pode descrever ou tentar elucidar com palavras, só podemos vivencia-lo com destreza, amor e verdade.

Aventurar-se nesse deserto é como viver a experiência de Cristo, Buddha e tantos outros mestres que mergulharam em si mesmo até abrir o coração e ter a percepção real do infinito. Estar nesse vazio primordial, nesse verdadeiro buraco negro que nos leva a origem das coisas, nos mostra uma realidade distante, onde todas as coisas ganham um sentido real e indivisível.

Somente passando por esse deserto, se pode ter a real noção do que é amor universal, pois como se diz, no inicio tudo era o vazio.


Paz e Luz!
Terry
Comments