Uma coisa simples?

Nem sempre a simplicidade de um é do outro,
as vezes o que aparenta tal simplicidade a um,
pode ser algo desconhecido ao outro no inicio,
o leque de lembranças da memória,
é restrito pelo aprendizado durante a vida,
antes de recordar toda a biblioteca divina,
e acessar o "computador" cósmico,
existem restrições,
e a simplicidade é algo tão complexo no inicio,
que as vezes pode torna-se um obstáculo para ambos.

Ser simples não é ser calmo,
nem ao menos ser humilde,
e claro não ser um ser pacifico,
repleto de calma e sabedoria,
um ser de pura introspecção e iluminação,
isso tudo vem em conseqüência de seu próprio esforço,
e melhor dizendo, é parte de sua própria natureza,
a simplicidade vem da compaixão,
do entender o outro em suas formas variadas de pensar e criar,
de ver o todo em tudo e o tudo em todos,
olhar para os olhos do mal assim como do bem,
retornar um olhar opaco e obscurecido,
com a luz de um farol luminoso,
saber ouvir sem falar ao mesmo tempo,
entender a palavra que entra nos seus ouvidos,
e saber qual a diferença pela observação,
sem agir por impulsividade,
elevando os pensamentos até o vazio,
preenchendo com o cheio,
no centro de ambos.

Depure tudo aquilo vem a ti com sabedoria,
se você sabe mais sobre algo,
não ache que sabe tudo,
porque ainda sim tem alguém que sabe mais,
mesmo se alcançou a iluminação,
se obteve o satori,
ou está sem samadhi,
não se ache melhor que um ser brincalhão,
as crianças que brincam no parque de Deus,
esse orbe azul lindo,
independente da idade que tenham,
dez anos, vinte, cinqüenta ou cem,
ainda sim são partículas da mesma energia sutil,
seu Eu e meu Eu fazem parte dessa energia,
e essa energia primordial cria e recria,
o cenário, drama cósmico,
passa por inúmeras fases e capítulos,
sendo vivenciado ou não,
pode diversas formas da própria única energia divina.

Abra o coração e a mente para as possibilidades,
não ache que somente aqui existe vida,
inúmeros são os planetas, galáxias, dimensões,
planos de existência e não existência,
universos e multiversos,
tudo repleto de energia,
em formas que não se pode escrever,
nem ao menos dizer,
mas que conhecem a ti,
assim como ti conhece a todas,
quando unifica-se com a energia divina.

Se você sabe mais,
se compreende mais,
ensine com amor e compaixão,
olhe para todas as pessoas,
todos os animais,
os elementos e tudo o que existe aqui ou além,
com os mesmos olhos de uma mãe que olha para seus filhos,
com os mesmos olhos de um irmão gêmeo que olha para seu reflexo,
com o amor dos Mestres Iluminados por seus discípulos,
do verdadeiro discípulo pelo Mestre,
da Mãe Divina que abraça sem discriminação,
porque sabe que todos são seus filhos.

Nunca deixe palavras sair da boca em vão,
estas atiradas sem rumo e verdade são como balas de festim,
fazem muito barulho mas não tem efeito,
nunca deixe seus pensamentos dominarem a mente,
muitos pensamentos de uma vez geram discórdia interna,
olhe e observe pela calma e introspecção cada um,
e permita que apenas os bons pensamentos cultivem seu jardim.

A mente prega peças as vezes,
e a simplicidade do ser torna-se complexa por querer muitas coisas ao mesmo
tempo,
quanto mais se tem materialmente mais se quer,
se experimenta um chocolate com gosto bom vai querer mais,
se tem um carro bom depois vai querer outro melhor,
se come um bocado de arroz com leite e mel vai comer novamente,
se cheira um bom perfume vai querer senti-lo...,
o desejo pelo prazer vem pelo desconhecimento de quem cria todos os
prazeres,
vem pelo descontentamento continuo por esquecer o objetivo,
pela verdadeira procura do eterno em tudo,
e assim por diante...

Mas quem quer tudo quem vem e vai como uma roda gigante?

Sua mente, seus desejos, seu apego por experiências, pela experimentação,
isso não é errado,
estamos aqui para viver experiências e experimentações também,
mas todas com simplicidade,
da simplicidade vem a verdadeira alegria do desapego,
se não tem algo a que se apegar,
seja um objeto em qualquer estado de matéria ou pensamento,
não existe a complexidade de querer mais e mais,
vem dai a simplicidade de tudo o satisfazer,
quando vem a concordância entre mente e corpo,
que experimenta com simplicidade sem apego,
abrem-se as portas para a alma viver com plenitude,
pelo não desejar do passado,
pelo não esperar do futuro,
vive-se o eterno agora,
onde tudo é possível,
somente amor existe.

Esse agora vem da simplicidade do viver com alegria,
do viver na imutável e serena calma da mente,
do não desejar do corpo pelos sabores ou objetos,
do não se ater a pensamentos confusos,
do saber escutar as pessoas sem julgamento,
do ouvir os sons da natureza como mantras divinos,
do olhar para o espinho como se olha para a flor,
ambos nascem da mesma planta,
da mesma verdade que cria a terra e o céu,
do infinito manifestado como finito,
cercado e repleto de energia, luz e som.

Seu corpo e sua mente são suas mas não são você,
seu sonho é seu mas só é vivido quando adormece,
assim é a vida,
um grande sonho cercado de repleta alegria quando se tem simplicidade,
porém só pode ser vista como um sonho,
pelo ser compassivo e amoroso,
que reconhece a essência do Todo em Tudo...,
aquele que acredita sofrer pela falta da matéria,
busca incessantemente pela matéria,
aquele que acredita sofrer pela doença,
busca a cura para a doença,
aquele que acredita em tudo que se diz sem intuir,
torna-se perdido nos próprios pensamentos,
aquele que olha somente para a terra sob os pés,
esquece o céu acima da cabeça,
aquele que respira sem perceber,
esquece o controle de si mesmo...

Tenha sempre incessante vontade por Deus,
mergulhe fundo no coração,
abrace tudo que o rodeia com energia,
sorria para o vento e para a arvore,
mentalize a cura para quem necessita,
seja um ser simples para todos,
e principalmente simples para Deus,
porque através da simplicidade,
encontra a verdade oculta na complexidade criada,
entende assim,
os motivos da criação e do criador,
vê a si mesmo e todas as coisas,
como parte de um grande oceano de luz.

Om

Namastê,
Terry
Comments