Artigos Interessantes‎ > ‎Diversos‎ > ‎

Zumbido misterioso perturba povoado britânico


Um povoado rural no condado de Durham, Inglaterra - vive um problema incomum. Moradores relatam que escutam uma vibração anormal que alcança uma alta intensidade mas que não pode ser localizado.

Woodland é uma vila rural no condado de Durham com 300 habitantes. Está situada a 1100 metros acima do nível do mar, a poucos quilômetros ao norte de Barnard Castle, e a oeste de Bishop Auckland.

A pequena cidade de Woodland está há dois meses sem dormir por causa do zumbido estranho e grave que invade todas as noites, por horas, as ruas desertas.

Semelhante ao ruído do motor de um carro à distância, a cada meia-noite até cerca de quatro horas, o som estranho enche o ar e incomoda os moradores, ninguém ainda foi capaz de identificar sua origem.

Não é a primeira vez que algo semelhante acontece. Sons parecidos foram registrados há décadas em numerosos locais na América e Norte da Europa, mas também existem relatos da Nova Zelândia, Bristol, Auckland, Zurich... Taos, o mais famoso de todos, que chamou uma atenção especial em meados dos anos noventa.

Depois de anos de queixas da vizinhança, muitos pesquisadores chegaram a esta cidade no Novo México. Ninguém, no entanto, conseguiu encontrar a origem do som estranho e irritante, que os moradores comparavam a marcha de um motor a diesel distante.


Woodland, por enquanto, é o último caso onde foi detectado o surpreendente fenômeno. Patrulhas de moradores foram organizadas para encontrar a fonte do som, mas todos os esforços foram em vão.

Agora, de acordo com o jornal Daily Telegraph, as pessoas procuraram a ajuda das autoridades. Ao contrário do que aconteceu em outros lugares, o zumbido de Woodland é perfeitamente audível para todos e se parece com o motor de um carro.

Um constante e insistente burburinho começa por volta da meia-noite e não cessa até depois das quatro horas. E é assim todos os dias durante dois meses.

A área não tem torres metálicas, não há fábricas ou minas antigas que poderiam esclarecer a origem do som misterioso.

Como disseram os moradores para o jornal britânico, "em certas áreas da casa pode ser ouvido mais alto. Vem definitivamente de fora, está no ar, em toda parte, como um ruído de fundo que vibra através das paredes da casa".


Patologia coletiva


A ciência ainda não conseguiu uma explicação satisfatória para esses sons misteriosos. Em 2005, depois de anos de frustradas investigações em Taos foi determinado que havia uma estranha patologia coletiva que afeta um músculo que endurece o tímpano.

Outra pesquisa se baseou na premissa de que o som era de origem geológica, causado por movimentos tectônicos ou por movimentos de magma abaixo da fina crosta terrestre. No entanto, ainda não há nada conclusivo sobre o assunto, e a hipótese não foi comprovada.

Em 1998, no entanto, a ciência demonstrou que, embora não possamos ouvi-lo, a Terra constantemente emite um zumbido de baixa frequência.

É possível, somente possível, que o zumbido constante, por vezes, aumente a sua intensidade e se torne audível para o ser humano.

Durante anos pensou-se que o zumbido era causado por movimentos geológicos, ou mesmo pela turbulência atmosférica.



Onda de choque



Mas em 2009 verificou-se que o zumbido de fundo era devido a colisão das ondas do mar contra os fundos marinhos.

E não em todos os lugares, mas principalmente na costa do Oceano Pacífico da América do Norte. O estudo foi então publicado na Geophysical Research Letters.

Quando duas ondas com frequências semelhantes em direções opostas colidem, criam uma onda de pressão muito especial capaz de transportar a sua energia para o fundo do mar.

Quando isso acontece, cria uma vibração constante em uma frequência próxima dos 10 mhz inaudível para o ouvido humano, mas facilmente detectável por um sismógrafo.

No entanto, parece que o zumbido de Woodland (como Taos, Bristol ou Zurique) não pode ser atribuído a este tipo de vibrações causadas por ondas do mar. E a sua origem permanece um mistério.


Tradução: Carlos de Castro





Fonte: ABC.es
fonte: http://arquivosdoinsolito.blogspot.com/
Comments