Yoga - Chakras‎ > ‎Artigos Diversos‎ > ‎

Energia "quente e fria" no Yoga

A algum tempo atrás pediram para que eu explicasse sobre a questão das energias quente e fria no yoga e nos métodos de elevação energética. Pois bem, expliquei, mas ainda não havia escrito nada a respeito, o que deixo abaixo algumas considerações básicas para melhor entendimento sobre esse aspecto tão importante e tão mal compreendido hoje em dia.

Infelizmente na atualidade são poucas as pessoas que colocam de forma aberta ou procuram aprender e principalmente vivenciar nas suas praticas o “sentido das energias”, que apesar de denominarmos quente e fria, na verdade o termo é muito mais abrangente que isso.

Primeiramente vamos procurar entender as diferenças sobre polaridades, que é importante para que não existam confusões ainda maiores sobre os termos que utilizamos atualmente, já que isso, de quente e frio, remete aos princípios básicos de qualquer “arte” ou forma de trabalho das energias, chakras e meridianos do corpo, sejam quais forem.

A confusão maior se deve ao fato que somente poucos professores ou ditos mestres da atualidade são “realizados” energeticamente para explicar sobre isso. Não estou dizendo que não existam, mas pouco é escrito e boa parte só é explicado por transmissão oral (o que concordo, já que muitas pessoas invertem o sentido das coisas), de mestre para discípulo. Existem poucos materiais que conheço e tive acesso que tratam desse assunto que apesar de todo “mistério”, é algo básico que qualquer um pode ter acesso quando medita e procura sentir fluindo pelo corpo a "energia", enfim, sem “enrolar” demais, vamos ao que interessa.

Quando falamos de energia seja na yoga, espiritualismo, esoterismo ou qualquer outra forma que trabalhe a energia do corpo e da mente, é preciso entender que isso não é o mesmo que eletricidade, vibração, plasma, ectoplasma e outras formas de energia. A energia tem muitas formas de interpretação, devido as muitas traduções que vieram ao longo dos milênios, e que como tudo no tempo, sofreu muitas modificações desde a língua antiga e sagrada do Abanheenga, e posteriormente do alfabeto devanagari, sanscrito, tibetano e outros muitos... mas voltemos ao assunto.

Quando falamos vulgarmente em quente e frio, muitos entendem que isso tem referencia as temperaturas calor e frio, o que está muito errado, pois a questão de quente e frio refere-se a ambas as polaridades, porém com forma vibracional diferenciada para elevação do mesmo fluxo energético.


Vamos entender melhor. Quando falamos em eletricidade, corrente de meridianos, fluxos energéticos, enfim, quando tratamos das polaridades, yin e yang, estamos falando da carga elétrica que é trabalhada pelo corpo, planeta, universo e até mesmo na tomada da sua casa. Isso é o positivo e negativo, o yin e yang, o “quente e frio” da corrente elétrica, e não o quente e frio da forma vibracional da energia.

É como aquele ditado que diz que opostos se atraem. Você acha isso correto para tratar o ser humano? Não, não é correto. Opostos se atraem no que diz respeito a carga elétrica, eletricidade, no caso do ser humano é vibração, então a atração é por ressonância, ou seja, semelhante atrai semelhante!

Quando falamos de vibração, utilizamos o termo quente e frio para definir qual a base de circulação de ambas as energias, yin e yang, positivo e negativo, portanto ambas circulam dentro do mesmo fluxo vibracional. Ficou confuso?

Vamos dizer que uma pessoa vai começar a praticar yoga ou chi kung e não sabe sobre o assunto. Essa pessoa procura por exemplo, hatha yoga.

Como sabemos, Hatha significa Sol (Ha) e Lua (Tha), ou também como alguns definem, “yoga vigoroso”, ou seja, o hatha yoga busca equilibrar ambas as polaridades, sol e lua, ou positivo e negativo, yin e yang. Portanto seria incorreto definir que a hatha trabalha só com uma polaridade, mas existe sim um fluxo vibracional principal, que é a energia fria. Ficou mais confuso, vamos aos detalhes tão pouco discutidos infelizmente.

Por que energia fria? Porque para que algo possa circular deve existir um inicio, um ponto, ter um fluxo primordial de vibração da circulação da energia, o que no caso da Hatha Yoga assim como Yin Yoga, Tao Yin e outras técnicas similares, irão trabalhar com o fluxo inicial da polaridade Yin da vibração energética. Como a hatha trabalha com ásanas (posturas), pranayamas (respirações) e outras formas de maneira mais centrada no alongamento e energia interna da coluna, define-se corretamente que a energia vibracional da Hatha Yoga é fria, assim como o terno TAO Yin, que está no próprio nome, o Yin, como energia fria, lembrando que fria é a energia e não a temperatura, portanto não vamos nos confundir.

Quando falamos em meditação, Kriya Yoga, Tao Yin, Hatha Yoga e outras técnicas do tipo, estamos falando da energia fria no sentido vibracional e não térmico (temperatura). Quando praticamos qualquer uma delas, estamos trabalhando ambas as polaridades, mas com métodos diferentes para que exista a “re-ligação” dos circuitos energéticos que podem ou não estaremos “desligados”, obstruídos (como no caso dos meridianos, nadis), desalinhados (como no caso dos chakras ou vórtices de energia) e também dos corpos mais sutis, que por algum motivo possam estar em desarmonia com teu corpo físico "denso". É importante entender esse ponto, ambas as polaridades são trabalhadas, já que o sentido de qualquer técnica que trabalhe energias é a harmonização e elevação da sua energia vibracional, desbloqueando os meridianos, limpando os canais, alinhando e desobstruindo os chakras primários, secundários... e também colocar em ordem a energia da mente, que como sabemos pode sofrer muitas influencias quando em desarmonia com tua essência. Isso se refere também aos três tesouros, três mentes, que é outro assunto que não irei tratar nesse texto.

Então fica claro que independente da técnica ambos os pólos serão trabalhados, porém existe uma circulação vibracional quente ou fria que será definida de acordo com a técnica utilizada, isso é referente a energia base, vibracional, e não, volto a insistir, a temperatura ou polaridade.

Um exemplo de energia quente é a Kundalini Yoga, algumas técnicas de Chi Kung e outras modalidades de desenvolvimento energético. Nestas se pode dizer corretamente que a energia base, vibracional, é quente. Kundalini na tradução mais básica, raiz, significa enrolada, ou energia enrolada. Tem referencia com aquela imagem da cobra enrolada na base da coluna, que deve subir conforme o desenvolvimento da pessoa até o cérebro. Isso não significa que a energia é só quente, mas irá vibratoriamente trabalhar o circulo a partir da yang, mas ambas as polaridades também são trabalhadas, assim como na Hatha, Tao Yin entre outras. Kundalini também é o nome que deram para uma modalidade, uma série de posturas e técnicas, não é o próprio yoga, mas sim uma técnica, portanto cuidado para não confundir kundalini yoga com a kundalini em si mesma, que é essa energia que se move pela coluna. Isso também acontece com a Kriya Yoga, é importante não confundir o método de Kriya Yoga (linhagem de P. Yogananda, Mahavatar Babaji e outros Mestres), com as kriyas de limpeza, que são métodos utilizados na yoga para limpeza de algumas partes do corpo.

Ficou claro o diferença entre quente e frio? Entendemos aqui que está correto afirmar que podemos diferenciar os métodos de acordo com a vibração mas que não devemos afirmar que quente e frio é algo fixo da técnica mas sim um forma de vibração primordial da energia?

Então se alguém lhe perguntar qual o tipo de energia trabalhada no Hatha Yoga ou no Tao Yin, pode sim dizer que é uma energia mais fria, energia e não polaridade, energia vibracional, e deve sempre, sempre mesmo esclarecer que isso não tem referencia sobre uma técnica “gelada” ou mais parada como alguns dizem por ai. A técnica é tão forte e tão potente quando qualquer outra, com mesma finalidade, elevar sua energia.

Todas as pessoas tem yin e yang dentro de si, mas nascem sob a influencia de uma determinada vibração, tendendo mais para yin ou yang. Por exemplo, em algumas técnicas especificas quando vamos medir a energia da pessoa e traçar seu perfil a partir do nascimento, em algum ponto conseguimos saber se ela tem uma energia mais yin ou yang, mas isso não significa que ela seja só quente ou só fria, ela tem ambas as polaridades, porém a vibração primordial de desenvolvimento, sua caracteristica básica, é mais yin ou mais yang. Perceberam agora o porque é importante explicar corretamente sobre isso?

Outro ponto para que fique bem claro. A energia kundalini não é quente nem fria, é uma energia base que mistura, se é que posso dizer assim, o fluxo vibracional da ambas as polaridades. Quando ela sobe pela coluna passa por uma série de nadis, meridianos, chakras... enfim, ela percorre todo o corpo, e isso só acontece quando vai desobstruindo, harmonizando e equilibrando sua energia. Tanto Hatha, Kundalini, Kriya, Tao Yin e tantas outras formas de Yoga (lembrando que yoga significa religação com o universo, com Deus), irão lhe ajudar nesse sentido. Usar estas técnicas só como um meio de exercício físico para tonificar o corpo é desperdiçar potenciais muito mais abrangentes que pode conquistar com disciplina e intenção correta.

Lembramos que você não é somente esse corpo físico, existem muitos outros corpos de energia que formam sua totalidade, e isso deve ser levado em consideração dependendo do seu entendimento a respeito do assunto. Por isso digo que é muito mais abrangente a questão das polaridades e vibrações, porque não se limitam ao corpo físico, mas esse é outro assunto.

As posturas, exercícios, respirações, meditações, etc, se feitos de forma correta sob orientação positiva, não só irão como tempo lhe ajudar no desenvolvimento corporal, mas principalmente no trabalho mental e de elevação espiritual. Vamos lembrar que antes do corpo vem a mente (corpo mental), e todo seu corpo físico sofre influencias sobre o que você pensa e da energia que circula dentro e fora dele (corpos). Portanto é muito importante trabalhar todos os pontos da técnica que decide aprender, tanto físicos, mentais, como espirituais.

Aprendam a ouvir o coração e sentir sua energia fluindo, não se apeguem a questão de quente e frio, yin e yang, o mais importante é sua identificação com a técnica e definir o que você espera, qual a sua intenção.

Infelizmente hoje em dia muito esta distorcido, e como afirmo desde o inicio, muitas informações estão sob o ego das pessoas que ensinam e não propriamente na experiência e vivenciação do yoga. É preciso que você viva isso e sinta por si mesmo. Não acredite cegamente no que as pessoas dizem ou mesmo no que eu escrevi aqui. Estude, pesquise e principalmente, medite sobre isso enquanto se desenvolve no caminho que escolheu.

Onde existem rosas existem espinhos, então é preciso sempre estar com os olhos abertos e a mente ainda mais atenta quando realmente quiser absorver mais sobre o assunto. O mais importante é não desistir e nunca achar que o que lhe disseram é a resposta final para sua pergunta, nem o texto que leu, nem o livro, nem o curso, nada é mais importante que sua própria experiência na técnica. Faça, sinta e deixe sempre um campo aberto dentro de você para novas descobertas, que com certeza virão se você se dedicar no que pretende conquistar com bons princípios e boa vontade.

Não tenho como entrar aqui mais profundamente nos ensinamentos sobre a energia vibracional ou nas questões de polaridades, a intenção é somente esclarecer um pouco esse conceito que as vezes é abordado de forma muito superficial ou pior, de forma errada. Ninguém está certo quando afirma algo que não conhece, e o pior, quando critica algo que não tem conhecimento maior para discutir. Portanto como sugeri acima, não aceite nada como verdade final, procure ouvir mais com teu coração e principalmente vivencie a técnica para sentir em você os beneficios, sem se ater tanto aos “achismos” de pessoas que ainda pouco investigam profundamente sobre isso.

Se quiser se aprofundar mais, procure entender e estudar sobre yin e yang, sobre os chakras, sobre a energia da kundalini... procure conhecer melhor seu corpo, sua disposição energética... Não se preocupe no inicio se está ou não dando certo, apenas faça e sinta a energia fluindo. Procure bons professores que sigam os métodos tradicionais, porque como disse, tem muita gente colocando o ego acima de tudo, criando formas diversas de vender yoga, o que é muito, muito errado na minha humilde opinião. Tudo evolui, e com certas novos métodos e técnicas surgem, mas tenha certeza que nada que se apegue somente ao corpo ou que valorize mais o ego que a espiritualidade (não religião, e sim a espiritualidade), segue o principio básico do yoga, que é a conexão, ou "re-ligação" com Deus, o TAO, a Fonte Que Tudo É.




Fiquem com Deus!

Paz e Luz!

Terry
Comments