Yoga - Chakras‎ > ‎Bioenergia‎ > ‎

Energia Cósmica e Consciencial

ENERGIA CÓSMICA OU IMANENTE

É o principio vital que interpenetra e nutre a todas as coisas do Universo Interdimensional. É aparentemente onipresente e impessoal, permeando praticamente todos os planos de manifestação. Podemos, então, dizer que existe uma energia densa (etérica), astral (etérea) e mental. Einstein, na verdade, parece que partiu desse princípio quando demonstrou a substancial identidade entre a energia e a matéria, e a possibilidade de transformar uma em outra: a matéria é energia em estado de condensação; a energia é matéria em estado radiante.

A nomeclatura sobre a energia é bastante diversificada, variando de filosofia para filosofia. Ex.: Luz Astral (Cabala), Prana (Yoga), Mana (Kahunas), Força Ódica (Barão Von Reichenbach), Energia Orgônica (Wilhelm Reich), Telesma (Hermes Trismegisto). A palavra Energia é derivada do grego “Energes” (ativo) que, por sua vez, deriva de “Ergon” (obra). Logo, etimologicamente significa “Atividade”; “Movimento”. A palavra Prana, como a energia é mais conhecida na Índia, pátria original do Yoga, é derivada do sânscrito “Pra” e de “An” (respirar, viver). Logo, etimologicamente significa “Sopro Vital”. No Japão, a energia é conhecida como “Ki”. Na China, é conhecida como “Chi”.

As energias que os seres vivos absorvem e metabolizam são oriundas de fontes variadas: o sol, o espaço infinito, o próprio planeta... Os ocultistas orientais dividiram essas energias em três grupos distintos: 1. Fohat (eletricidade): energia conversível em calor, luz, som, movimento, etc; 2. Prana (vitalidade): energia integrante que coordena as moléculas e células físicas e as reúne num organismo definido; 3. Kundalini (fogo serpentino): energia primária, violenta, estruturadora das formas. É oriunda do centro do planeta.

 

ENERGIA CONSCIENCIAL OU PESSOAL

É a energia cósmica que a consciência absorve e emprega nas suas manifestações gerais. Essa energia consciencial é chamada em geral de energia anímica ou magnetismo pessoal. Ao ser metabolizada pela consciência, a energia cósmica deixa de ser impessoal e assume as características pessoais da criatura.

FONTES BÁSICAS DE ENERGIA VITAL

1. Ar atmosférico, através do aparelho respiratório e da pele;

2. Alimentação de sólidos e líquidos, através do aparelho digestório;

3. Absorção de energia pelos chacras;

4. Sono, através da descoincidência dos veículos de manifestação da consciência;

5. Projeção da consciência, através da absorção energética no plano astral.

 

ATIVAÇÃO ENERGÉTICA

A consciência pode ativar as suas energias conscienciais de três maneiras:

1. Circulação Energética (circulação fechada; estado vibracional);

2. Absorção Energética (recepção energética);

3. Exteriorização Energética (Irradiação energética).

 

PROPRIEDADES BÁSICAS DA ENERGIA CÓSMICA

1. É acumulável por um sujeito devidamente treinado;

2. É transmissível (pode-se energizar qualquer coisa);

3. Tem polaridade positiva e negativa (YIN e YANG);

4. Pode ser dinamizada pelo campo energético humano através da vontade;

5. Pode acumular qualidades específicas, mesmo quando é inespecífica em si mesma;

6. Pode formar parte da atmosfera de um planeta (energia telúrica, aérea, aquática e ígnea);

7. É uma degradação de energia mental cósmica;

8. Pode adotar uma diversidade de manifestações, dependendo do ambiente onde interpenetra;

9. tem três atividades básicas no campo energético humano: recepção, exteriorização e circulação fechada (estado vibracional);

10. A matéria é energia condensada (luz capturada gravitacionalmente); a energia é matéria em estado radiante. Logo, tudo é manifestação, em graus variados, de uma mesma energia.

A ENERGIA SEGUNDO MAXWELL

(Extraído do livro: “Medicina Magnética”; 1678.)

1. A alma não está apenas no corpo, mas também fora dele e não é circunscrita pelo organismo;

2. A alma opera fora de seu próprio corpo;

3. De todo o corpo escapam raios corporais, nos quais a alma opera por sua presença e aos quais dá energia e força para agir;

4. Esses raios, que são emitidos pelos corpos de todos os animais, têm afinidade com o espírito vital, pelo qual se efetuam as operações da alma;

5. Descendo do céu puro, claro e sem manchas, o espírito vital universal é o pai do espírito vital particular, existente em cada coisa; é ele que o procria e o multiplica no corpo; é dele que os corpos recebem o poder de se propagar;

6. Esse espírito desce perpetuamente do céu e a ele volta, e nesse fluxo perpétuo, fica sem manchas. É por isso que pode, por um hábil artifício, e em maneiras admiráveis, ser unido a uma coisa qualquer a lhe aumentar a virtude;

7. Essa matéria sutil se escapa sucessiva e continuamente de todo “misto”, sob a forma de um eflúvio ou raios projetados, e uma outra substância semelhante, mas nova, chega a tocar esses mesmos mistos; daí resultam, necessariamente, por esse fluxo e refluxo, regenerações e destruições;

8. As excreções dos corpos dos animais retém uma porção do espírito vital;

9.Entre o corpo e as excreções, há um certo laço de espíritos e raios, mesmo quando elas estão afastadas do corpo. Essa vitalidade só dura enquanto as excreções não forem transformadas em outra coisa;

10. Basta que uma parte do corpo seja afetada, isto é, que o seu espírito seja lesado, para que as outras partes fiquem doentes;

11. Se o espírito vital for fortificado em qualquer parte, será fortificado pela mesma ação em todo o corpo;

12. Onde o espírito estiver mais a nu, aí será mais depressa afetado;

13. A mistura dos espíritos produz a simpatia e desta nasce o amor;

14. Se queres produzir grandes efeitos, tira das coisas o máximo possível da matéria, ou junta espírito à matéria, ou excita o espírito entorpecido. A menos que não faças algumas destas coisas ou não saibas unir a imaginação da alma do mundo a uma imaginação que já se esforça por se transformar, jamais farás nada de grande;

15. Posto que o espírito vital, considerado em si mesmo, não tenha partes heterogêneas e seja um todo inteiriço e por toda parte como a luz, muito semelhante a si mesmo, quando unido a um corpo, varia segundo as partes do corpo, por causa de certas junções...Eis porque os raios provindos de uma cabeça doente contém um espírito modificado como o da cabeça por essa disposição;

16. Esse espírito se acha algures, ou antes, por toda parte, quase livre de corpo, e aquele que sabe uni-lo com o corpo conveniente possui um tesouro que deve ser preferido a todas as riquezas do mundo;

17. Esse espírito separa-se do corpo tanto quanto possível, por meio da fermentação ou ainda pela atração de um irmão livre.




fonte: http://www.ippb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=6567&Itemid=98&limitstart=2

Comments